Polêmico? Depende...

.....Idéia não se cria. Ou se copia, ou se re-organiza.



.....
Idéias são coisas que existem no mundo, ou seja, que existem fora da mente. As pessoas, por meio de suas criatividades, as copiam adaptando-as para os seus mais diversos interesses, ou as reorganizam para atender suas novas necessidades, como por exemplo, fazem os computadores que, sendo alimentados com informações já existentes no mundo, as reorganizam dando novas dimensões dessas mesmas informações.

.....Assim, usando a criatividade em idéias antigas, interpreta-se novas ações as quais se denominam “novas idéias”; não passando de cópias ou idéias re-organizadas em seus seios originais.

.....Um exemplo clássico dessa tese é a criação da boneca Barbie que, antes dela, existiam as bonecas para crianças na forma de bebê com pernas e braços gordos, pois, a idéia era fundada na crença de que as crianças femininas queriam brincar de mamães. Certo dia, a indústria Mattel criou a Barbie. Sua fundadora, Ruth Handler, viu sua filha brincar com uma boneca de papel com características de um adulto. A brincadeira consistia em trocar as roupas – roupas de papel feitas por ela mesma. Assim, sua filha fez um uniforme de enfermeira pintado com caneta hidrocor, outra de professora, outra de noiva etc. Isso chamou a atenção da mãe. Em viagem à Europa, Ruth viu uma boneca de plástico adulta, glamurosa e sexy. Ruth, de imediato, juntou a idéia de sua filha com a idéia da boneca adulta de plástico. Então reorganizou as idéias e se perguntou: por que não fazer uma boneca que representasse os anseios e desejos das crianças maiores, as pré-adolescentes – o brincar de ser gente grande em suas mais variadas formas? Ou seja, uma boneca para as crianças maiores brincarem de adultos.

.....Ainda encontramos pessoas com o dogma de que as grandes idéias partem apenas dos gênios. Tal conceito persiste até mesmo nas grandes universidades. Entretanto, qualquer um pode ter boas idéias... Basta observar, analisar e relacionar o mundo a volta, bem como os anseios e desejos próprios e dos outros, apreendendo tudo, ou quase tudo, que acontece no próprio mundo interior e exterior.

.....Muitos pensam com a temática de “pensar fora da caixa” quando deveriam pensar de diferentes maneiras “dentro da mesma caixa”, ou, até mesmo pensar em “várias caixas”, pois, as pessoas não estão livres das regras e valores sociais aos quais estão inseridas em seus dia-a-dia.
.....As pessoas devem analisar, sob este conceito, o exemplo do You Tobbe que usou três idéias inovadoras em uma só idéia: vídeos caseiros, rede de relacionamento e sistema de busca, este último, igual ao do Google, por exemplo.

.....O principal formador dessas “novas” idéias é o instinto, a interação e observação das coisas empíricas, procurando ver o futuro “dentro da caixa” sob uma ótica realmente futurista, ou seja, prever o futuro e, isso, não é nenhuma nova idéia. É apenas uma nova concepção das idéias antigas, das idéias originais. Ao mesmo tempo, tal concepção não é o mesmo que seguir análises racionais, baseadas em números, metas ou projeções. É necessário observar a esfera do conhecimento sem se prender em estratégias pragmáticas de sucesso. Não se pode apenas observar as idéias importantes que aconteceram ou acontecem ao nosso redor. È necessário abrir a mente para o todo, quando uma idéia dá certo, insisti-se nela até esgotá-la, ignorando as novas relações de idéias antigas.

.....Por fim, os padrões nunca deixarão de existir e, ao mesmo tempo, são estes mesmos padrões que dão direcionamento para as “novas idéias” e, se as pessoas ficarem livres destes padrões, sem regras ou referências, suas criatividades seriam algo sem sentido; perdidas em si mesmas.
.....Logo, não criamos nada. Apenas copiamos ou re-organizamos as coisas antigas... Correto?

 

.