Polêmico? Depende...

.....Robótica humana.








.....Os cientistas já provaram que os pensamentos humanos são processos elétricos dentro de uma rede neural na qual se têm seus resultados por conta de padrões seqüenciais. Esses processos elétricos que forjam os pensamentos são os mesmos que fazem os músculos se moverem, ou seja, pensa-se em andar através de impulsos elétricos e, o corpo, como um todo, automaticamente passa para o ato efetivo de andar propriamente dito.

.....O que nos interessa neste momento é saber que já é possível captar o conjunto desses sinais elétricos emitidos por centenas de neurônios, simultaneamente, no momento em que um indivíduo pensa em realizar um determinado movimento. Quando o cérebro dispara essas descargas elétricas, os dispara de maneira organizada que fazem o corpo executar o determinado movimento pensado.

.....O fato é que os cientistas já desenvolveram uma maneira de gravar a ordem dessas descargas elétricas no cérebro e traduzi-las para a linguagem digital, com a qual se faz hoje possível reproduzir. Por exemplo, já se pode ligar um braço mecânico, com seus mais diversos movimentos, ao cérebro da pessoa que, por um motivo ou outro, perdeu seu membro, movimentando-o por meio do seu próprio cérebro, ou seja, em se pensando em levantar o braço, este automaticamente se levantará. Falta agora conseguirem introduzir nestas próteses a sensibilidade – o tato.

.....Isto sem dúvida é ótimo, pois, é possível ajudar muitas pessoas substituindo seus membros danificados, tanto por acidentes como por doenças, por estas próteses ligadas diretamente no cérebro. Assim, este avanço é um enorme passo para aumentar a qualidade de vida humana, principalmente nos casos em que se faz necessário a amputação de algum membro. Também podemos pensar em cegos com olhos mecânicos enxergando por conta desta relação entre cérebro e máquina, cuja interação não é diferenciada pela mente que a aceita naturalmente, entre outras possibilidades mais...

..... O problema aqui não é de cunho científico, mas sim filosófico. Em se considerando que, um dia, nossos cientistas consigam decifrar todas as ordens cerebrais que governam nossos corpos físicos, poderão então, por exemplo:
..... Ajudar uma pessoa como Stephen Hawking que sofre de uma degenerativa doença que o confina numa cadeira de roda, substituindo seu corpo por uma máquina que imita todos os seus movimentos acoplando seu cérebro a ela?
..... Ou controlando o corpo de um condenado da justiça por meio de um controle remoto que determine todos os seus afazeres durante seu confinamento, fazendo produzir coisas, como por exemplo, trabalhar em campos de plantações ou minas de exploração mineral?

..... Assim, vem a perguntar que não quer calar:
..... Qual a necessidade de cuidarmos do corpo - frágil e doentio - se será possível vesti-lo com uma roupa mecânica, inúmeras vezes melhor que o próprio corpo em si, e controlar esta tal roupa por meio da interação entre a máquina e o cérebro, cuja mente entenderá essa interação como uma coisa unívoca, independente de ser essa coisa natural ou artificial?

 

.