Os deuses: Palas Atenéia, sábia e guerreira...





.....
Era melhor fugir que ceder. E Métis, a prudência, fugiu em todas as direções. Escondeu-se e mascarou-se com bons e maus disfarces. A paixão sem fifelidades que Zeus lhe oferecia não lhe convinha.
.....Através das nuvens, dos mares e das planícies, o deus enamorado a perseguia e só descansou quando finalmente a encontrou. Apesar de seu aspecto mudado a reconheceu. O passado foi esquecido e amaram-se.
.....O fruto deste amor começou a brotar dentro do ventre da Métis e, quando Zeus percebeu que a gestação chegava ao fim, consultou o oráculo de Gaia, a terra. Nasceria uma filha, foi a resposta, mas o próximo descendente desta filha seria um deus que o destronaria, assim como o próprio Zeus, por sua vez, subjulgou Cronos, seu pai. Para defender o poder ameaçado, qualquer sacrifício era válido.
.....Zeus convidou a amante para o leito e, quando a teve em seus braços, a engoliu.
.....Pouco tempo depois, andava pelas margens do lago Tritônis, e repentinamente uma dor insuportável lhe deteve os passos. A cabeça latejava e ardia. Era como se milhares de punhais, aprisionados dentro dela, escavassem com pontadas um caminho para a saída. Os gritos desesperados do senhor do Olimpo sacudiram a terra e atraíram todos os deuses.
.....Com pressa, Hermes chamou Hefestos, o ferreiro divino, que, vibrando no ar seu machado de ouro, golpeou-lhe a cabeça com toda força. Da ferida surgiu uma mulher belíssima, vestida em reluzente armadura de prata. Na cabeça, ostentava um elmo de ouro, nas mãos, um escudo e uma lança. O lago explodiu em ondas. O céu relampejou. O sol segurou o freio de seus corcéis para dar passagem à bem-vinda. Os imortais do Olimpo ergueram-se de surpresa e respeito. E o coração de Zeus não coube em si de tanto contentamento.
.....Palas Atenéia, para os homens, ficou sendo a deusa da sabedoria, protetora dos gregos e, como gratidão à seu culto, deu-lhes vários atributos como a flauta, o leme para as embarcações e a Oliveira. Apesar de ser uma entidade guerreira, não representava a força bruta e nem a destruição sem razão. Apenas defendia os justos oprimidos...
 

.