Homem e os deuses:
Zeus, personificação da paternidade e do poder supremo...







.....As famílias viviam em constante isolamento, depois se agruparam em aldeias e, com a expansão social e econômica do povo minóico e micênico, começaram a se estabelecerem em grandes aldeias, depois se transformaram-se em cidades e por fim, em cidades-estados. O sistema era patriarcal, com o qual, cada família tinha o poder de decisão concentrado na figura do pai, que por sua vez, obedicia as vontades do rei, pai comum à todos. Como pai em si, o rei estabelecia a disciplina entre seus súditos, protegia-os assegurando-lhes a ordem. Distribuía a justiça. Mandava e era obedecido.

.....Zeus tinha as duas conotações deste sentido figurado de pai. Como rei supremo, ele comandava o Olimpo e os homens na terra, constituindo desta maneira um modelo de chefe para os helenos, como dizia Aristóteles:
....."A união de pai com seu filho tem a aparência da realeza. A realeza quer ter o poder paternal."
.....Assim, Homero chamava Zeus de pai, e, na condição de chefe de família, aumentava cada vez mais sua prole, aumentando a extensão de seu poder. Era mais importante exercer a paternidade que a fidelidade, seja com sua própria esposa Hera ou com outras deusas ou até mesmo, com semideusas, heroínas, ninfas e mulheres mortais.
.....O maior orgulho de uma cidade grega era ter um filho de Zeus como fundador ou patrono.
.....Seus casos amorosos tinham várias interpretações. A lenda de Dânae, na qual Zeus a seduziu se disfarçando em chuva de ouro, foi considerada pelos estudiosos no assunto, como uma figuração da fecundação da terra pelos raios do sol. Eurípedes já olha por outro prisma esta fábula. O encara como uma imagem da soberania da riqueza material, que a tudo compra, convence ou até mesmo vence. A fábula do rapto de Europa já tem uma interpretação mais uniforme. É interpretada com base histórica. O fato de a donzela fenícia ter sido raptada e levada para ilha de Creta constituiu uma forma mítica de explicar um fato real: a migração de alguns fenícios para a ilha de Creta, constituindo assim, um dos fatores formadores da cultura helênica.
.....Zeus, além de pai, teve outras conotações em suas particularidades como: Zeus Ktésios, aquele que concedia riquezas aos seus devotos. Zeus Herkeios, aquele que protegia as moradas e cidades. Zeus Xênios, que velava pelos estrangeiros, pelos sem terras, pelos andarilhos e pelos aflitos e desaprovava os implacáveis, os sem piedades e os não hospitaleiros. Foi com este último aspecto de Zeus que Homero o louvou em sua obra A Odisséia:
....."De Zeus poderoso vêm os mendigos e os estrangeiros; embora pequena são gratas às dádivas ora criadas. Ao hospede dai o alimento e bebida, e ide banhá-lo no rio, em lugar protegido dos ventos...".
 

.