Homem e os deuses:
Palas Atenéia, dignificando a inteligência e o trabalho nobre...








.....Para a tradição grega, a deusa era filha de Zeus com Métis, a Prudência. Como os gregos não aceitavam a inteligência encarnada nas mulheres, criativamente fizeram com que, nesta lenda mítica, Zeus engolisse Métis tornando-se assim o deus mais sábio de todos. Gerou a filha de Métis logo após engolí-la e, por fim, deu à luz sozinho, saindo de sua própria cabeça, Palas Atenéia, a qual transmitiu parte de seus dotes mentais.

.....Ao vir ao mundo através do crânio de Zeus, esta deusa já tinha em mãos uma lança que materializava os raios iluminadores das alturas etéreas que anunciava as fortes tempestades. Envergava também uma brilhante armadura, representando os meteoros e os fenômenos luminosos.
.....Assim, Palas Atenéia, desde o primeiro dia de sua vida divina, foi caracterizada como uma deusa guerreira sem personificar a força bruta, os massacres sem propósitos, mascarando seus verdadeiros interesses. Representa a arte bélica, a luta racional, lógica e justa, defendendo os ideais mais elevados dos homens. Divulgava a cultura grega, estabelecia a paz e assegurava a ordem entre seus devotos.
.....Palas Atenéia não só protegia as ações guerreiras em prol da justiça, pois, era também ligada ao elemento úmido, considerado pelos gregos como uma força fecundante da natureza, e por tal, acabou-se por ser também uma divindade agrícola. Os campos eram, para todo o povo grego, sua fonte básica de alimentação e de riqueza. Conheciam em grande escala os fenômenos naturais, entretanto, não dispunham de conhecimentos técnicos para se assegurarem nestas bases, então rogavam à Palas Atenéia seus favores divinos na confiança da sorte em ter-se sucesso em suas colheitas e em seus rebanhos.
.....Pela lenda, Palas Atenéia, na qualidade de filha de Zeus, começou a ser invocada pelos atenienses quando esta lhes presenteou com a árvore de Oliva, depois de vencer Poseidon, em disputa para assumir o posto de patrono desta nova cidade. É desta árvore que os gregos extraíam tanto o alimento, como também o óleo para sua higiene corporal, além da iluminação das casas e dos templos. Teve grande importância na difusão cultural e comercial do povo helênico.
.....Palas Aténia, protetora dos campos e, por meio de sua sabedoria e prudência, ensinou o povo grego, mais precisamente os atenienses, a fabricarem potes de barro para melhor conservarem as colheitas. Assim, Atenas tornou-se um importante centro comercial de vasos decorados e de venda de óleo de Oliva. Servia também como um celeiro de alimento para outras cidades no inverno que, viam na técnica ateniense, a solução dos tempos de seca e entressafra. Por este motivo, Palas Atenéia tornou-se a protetora dos oleiros.
.....Garantindo sua personificação de civilizadora, presenteou também seu devotado povo com o leme, que a própria deusa inventou para que os barcos de seus fiéis súditos não se perdessem ao sabor das ondas e das correntezas postas pelo seu inimigo familiar, seu tio Poseidon. Depois, como gratidão por tal devoção, a deusa mandou-lhes a flauta, embelezando assim a música grega. Transmitiu a técnica de fiar, tecer e bordar, pois, era esta deusa, a mais famosa nestas artes, conforme confirma a lenda de Aracne, cuja lenda, para os estudiosos, simboliza a rivalidade comercial entre os atenienses e um povo de origem cretense que, nesta ilha, atestando esta rivalidade, foram encontrados vários lacres comerciais com o emblema de aranha (aracne) postados no segundo século antes de Cristo, revelando uma forte indústria cretense de tecidos. Já em Mileto, havia outro centro de tecelagem de lã que exportava seus produtos para todo o mundo antigo. Este povo dominou o comércio de tecidos no Mar Egeu e no Egito, pondo medo a iniciante industria têxtil grega.
 

.