Homem e os deuses:
Caos, explicação cosmogônica...









.....Para explicar a origem do mundo, os primeiros gregos criaram o mito cosmogônico e assim explicaram as coisas, os seres animados e inanimados.

.....Homero, Hesíodo, os Órficos e os demais poetas e filósofos da época, perante tal mistério, tentaram, por conta da criatividade lógica, desmembrar o princípio do Universo, surgindo assim, as lendas místicas por meio de teorias racionais.
.....O que poderia ter havido ou mesmo como poderia ter surgido antes do Caos, ninguém sabe. Não há indícios de preocupação dos antigos povos minóico e micênicos sobre este assunto. Mas, após o Caos ter sido organizado em seu estágio primordial, passou a se chamar Cosmos, estágio inicial da realidade e, não obstante, se dá anteriormente ao aparecimento dos seres em particular. O Caos não tem a linguagem definida em função do entendimento humano na época. Inefável, encoberto de vários mistérios, só poderia ser aluído através de metáforas, coisas que não o aprisiona por completo, apenas o sugere, mesmo porque, como decifrar em detalhes de perfeição o que existia antes das próprias coisas em si e sobre as quais se fala na linguagem do Homem antigo?
.....Encarado como a matriz do Universo, foi necessário atrelar ao mito do Caos as sementes contrárias que se manifestam na terra. Os contrários inspiraram os filósofos pré-socrásticos, que refletiram sobre coisas como a luz e escuridão, unidade e pluralidade, vida e morte, espírito e matéria. Enfim, foram estes pares, com seus opostos, os que marcariam a produção artística futura, o andar dos pensamentos filosóficos, da cultura grega e, mais tarde, toda a cultura grego-romana.
 

.