O Homem na Era dos Reis...
.....A Era dos Reis é simbolizada nas cartas de baralho; principal passa-tempo da nobreza no século XVII. A carta mais alta era a do rei, cuja figura real chefiava os grandes reinos na Europa. Abaixo, os membros das cortes que lutavam entre si por uma posição mais privilegiada nos palácios, representados rigidamente na ordem das cartas de baralho.
.....Fortunas e títulos nobres eram perdidos da noite para o dia no jogo mais famoso desta época: o carteado.

.....Absolutismo, a base da nova Europa.
.....Época de imensa notabilidade para o Homem, ao qual adotou o absolutismo como conceito social e político depois de muito lutar para destruir seus vícios governamentais.
.....A Era dos Reis é marcada pela independência que certos monarcas conseguiram em relação ao poder, supervisão e interferências da Igreja, cujos maiores representantes de tal feito foram os reinos da Inglaterra, França e Rússia.
.....Este poder era dado por meio da transferência do terror divino pelo terror do Estado. Tal poder sobre os homens era mantido pela força dos exércitos sobre as vontades e divergências da Igreja e de outros Estados povos.
.....A arte se superou e, absorvendo este novo conceito de poder, conseguiu o impossível: desafiar todos as formas de gostos e todos os cânones religiosos.
.....Na religião, Satanás era o conceito disseminado na população pela Igreja contra os argumentos das novas idéias políticas. As palavras de John Milton explica isso:
....."O Satanás aspira em sobrepujar em glória os seus pares contra o trono de Deus".
.....Mesmo assim, o povo passou, em certos aspectos, do repudio eclesiástico para o absolutismo dos reis. Impotentes, assistiam a briga de dragões entre o clero e novo sistema governamental. Havia muita conspiração política para se apossar, na partilha da Europa, uma maior porção de terra que se encontrava também nas mãos da "Santa Igreja" que, por sua vez, lutava pelo que poderia sobrar.
.....Em 1.611 John Donne escreveu sua obra “Uma Anatomia do Mundo” na qual dizia claramente sobre os sentimentos que incomodavam e inquietavam o povo europeu em sua época. As novas idéias vindas do Renascimento - ciência e filosofia - estavam arrasando os dogmas e paradigmas tradicionais a respeito de Deus, do Homem, da Natureza e do Universo. Um trecho do seu livro nos mostra isso:
.....“E a nova filosofia põe tudo em dúvida,
.....O elemento fogo extinguiu-se de todo;
.....Perdido está o Sol, e a Terra, e onde procurá-los?
.....Não o sabe mais o entendimento humano.
.....Espontaneamente confessam os homens que este mundo está gasto;
.....Já que nos planetas, e no firmamento;
.....Vão em busca de tantos novos."
.....No mesmo livro, Donne se queixa e mostra certa reprovação e lamento no esfacelamento dos antigos conceitos retos. Ao mesmo tempo, revela outro aspecto. Uma idéia inédita e desafiadora, na qual o Homem, dotado de ilimitados poderes criadores, é inigualável:
....."Tudo feito em pedaços, foi-se toda a harmonia;
.....Toda justa medida, e toda relação:
.....Príncipes, súditos, pais, filhos, são coisas esquecidas;
.....Pois cada homem só pensa o que lhe cumpre;
.....Ser uma Fenix, e que não há de ser;
.....Nada daquilo que ele é, senão ela."
.....Nesta mesma época, Francis Bacon, percebeu a destruição da ordem das velhas coisas e o orgulho na capacidade de criar, dos destroços, uma nova ordem política e social; escreveu como promessa ao Homem Moderno:
....."Devemos estender mais amplamente os limites do poder e da grandeza do Homem".
.....Os acontecimentos sóciais, políticos, econômicos e religiosos, fizeram nesta época, a formação de nada menos que o mundo moderno. Não foi um resultado calculado e muito menos previsto. Foi por conta da lei de ação e reação; da causalidade. Foram vários obstáculos e, transpô-los, era uma questão de tensão e conflito, violência e tumulto.
.....No início do século XVI, a Europa Medieval estava morta, desmantelada pelos conflitos das idéias Renascentistas, Protestantes e Reformistas. Cada qual com uma ideologia de vida diferente entre si que, uma tentando se impor sobre a outra, levou a Europa a sua total divisão política. Foi desfragmentada a tal ponto que, a nobreza, ao perceber esses eventos, tomou proveito e partido naquilo que mais interessava.
.....A "Santa Igreja" ainda detinha grande poder, entretanto, sem o fervor da arbitrariedade incontestável da fé; a nobreza feudal, aferrada nos seus tradicionais costumes, não admitia seu esfacelamento.
.....Já se contestava o sistema geocêntrico e as novas teorias caminhavam lado a lado com as antigas e as seitas religiosas já se encontravam em grande número e com variáveis números de adeptos, poder e fanatismo. Os reinos mostravam-se agressivos e ativos, com exceção da Itália, Espanha e Portugal. No resto da Europa, a classe emergente mercantil, cada vez mais próspera, usurpava os direitos da velha aristocracia. Os cientistas, armados de novos instrumentos, aprendiam coisas da natureza que derrubavam as teorias eclesiásticas e assim por diante. Neste contexto, a Europa, de maneira morosa e dolorosa, viu esmoecer toda sua coesão. O Povo perdeu a certeza de tudo, desde o lugar do Sol no Universo até seu próprio lugar no mundo. Desapareceu a antiga imagem de um povo "filho de Deus”.
.....Ninguém sabia ao certo como buscar as repostas, pois nada dava maior incerteza do que as supostas verdades religiosas, estatais ou científicas. Todos eram submetidos às suas crenças e seus valores conflitantes.
.....Essa perda da autoridade centralizada levou o europeu ao desafio de se reorganizar com as coisas e conceitos que dispunha. O sucesso se fundou pelo poder absoluto. Estes novos déspotas dominaram as forças indisciplinadas dos homens os acomodando sob o julgo contratualista, como sugeriu Thomas Hobbes em seu livro Leviatã:
....."Assim, em primeiro lugar reconheço como inclinação geral de toda a humanidade um perpétuo desejo de poder e mais poder, que só se extingue com a morte de quem o deseja".
.....O poder foi a força que não deixou a Europa entrar em um verdadeiro caos anárquico. Alastraram-se, por todo o continente, sangrentas batalhas entre fidalgos e nobres; crimes e conspirações contra os soberanos; disputas religiosas encarniçadas e muitos outros fatos, todos em pontos isolados e com desenrolares independentes uns dos outros. Reinos e comunidades se despedaçaram, pessoas perderam tudo o que tinham - bens e vidas. A Europa encontrava-se prestes a entrar em uma nova Idade das Trevas. Entretanto, haviam pessoas criativas e de extrema inteligência como Velásques e Rembrandt, Milton e Molière, Galileu e Newton, Cromwell e Luiz XIV, indicando o futuro das realizações em todas as esferas das atividades humanas.
.....A arte nesta época tentou centrar toda essa confusão no movimento barroco, personificada nas colunas retorcidas das edificações que demonstravam claramente as antíteses em que se encontravam os paradigmas do povo europeu. Em outras áreas o europeu também tentava encontrar um padrão, uma ordem dentro da desordem de uma Europa em transformação.
.....Descobriram que tudo no mundo tem uma ordem lógica, que as coisas se movem por determinadas leis naturais e que podiam ser controladas. Mesmo o caótico sistema político desta época poderia ser controlado. Dessa maneira, procuravam uma ordem para o horror das indefinições, nas quais se imaginava o "fim dos tempos”.
.....Por trás disso e de seus evidentes sinais de intranqüilidade civil, havia uma desordem ainda mais profunda, um sistema político em desfragmentação. O sistema de governo regente era dado a uma sociedade estamental, feudal e agrária. Este sistema não conseguiu absorver o crescente número de burgueses que, acumulando riquezas, passaram a exigir seus direitos nas decisões políticas de seus respectivos lugares, todos, independentes entre si. Além disso, ainda tinham o problema da divisão religiosa resultante dos movimentos Renascentista, Protestante e Reformista em todo o continente. A religião, muitas vezes, fora pretexto para a instalação do absolutismo em vários reinos ou, paraxodalmente, como reinantes os anárquicos em outros. Havia este dualismo e, nele, uma escolha, como advertiu um inglês a seus compatriotas:
....."Atentai para isto; onde há tombo e agitação no leito da enfermidade, o fim natural é a morte ou o total restabelecimento."
.....O reino francês foi o primeiro a conseguir sair da insensatez política e, num governo absolutista, quase dominou toda a Europa. Em seguida a França de Luiz XIV, que continuou na mesma base política mostrou para toda Europa seu grande poder, florescendo a arte e o intelecto como nos áureos tempos dos gregos e romanos. O absolutismo francês se deu por meio de uma rígida burocracia reportada somente ao rei, e este por sua vez, reinando o Estado e não seus vassalos e príncipes; os tolerando apenas. O reinado francês foi o marco de uma nova era no mundo Ocidental. Foi invejada e copiada por todos os governantes na Europa. A língua francesa se tornou uma língua diplomática, chegando até o reinado da Rússia. Foi o baluarte das artes, tanto na pintura como na música, na literatura, na escultura e na arquitetura. Somente a arte renascentista italiana poderia lhe fazer sombra se as duas estivessem juntas em uma mesma época. A Rússia imperial, sob o governo de Pedro, o Grande, contratou arquitetos franceses para projetarem sua capital.
.....Neste sistema de governo, a liberdade foi por terra, tendo sido abafados todos e quaisquer pensamentos contrários aos interesses do rei, sua majestade, como por exemplo, os protestantes. Estes, na França, foram obrigados a se tornarem católicos porque o rei assim o queria... Subjugou toda a nobreza pela força e se manteve vitalício atrás de um enorme exército. Os ofícios foram regulamentados em seus mínimos detalhes, colocando todo e qualquer comerciante a mercê do rei. Os artistas e intelectuais ficaram excluisivos dos palacianos e da máquina do Estado.
.....No final do reinado de Luis XIV, após 72 anos ininterruptos, o excesso de ordem desgastou a vitalidade e força do povo e da nobreza. Estes, sem qualquer responsabilidade sobre os afazeres civis, se tornoram corruptos. No final do governo de Luis XIV, os militares estavam cada vez mais necessitados de recursos e a indústria estava perdendo milhares de hábeis artesões protestantes, que fugiram do regime absolutista para não se submeterem ao catolicismo.
.....A arte barroca, sob as vontades fúteis da nobreza, se transformou na rebuscada arte rococó.
.....Quando Luis XIV descobriu que abafara seu povo sob sua forte autoridade, já era tarde. Todos os outros reinos já haviam se unido contra o monopólio cultural e político da França. De certa maneira, os franceses fracassaram, mas deixaram os alicerces para um novo sistema de governo que, desde então, manteria a ordem sobre a anarquia em toda a Europa.
.....Na Inglaterra, os reis da casa dos Stuart, tentaram implantar o absolutismo sobre o parlamento popular, mas fracassaram. Entretanto, como resultado, o constitucionalismo como forma alternativa de governo em contraposição ao absolutismo e anarquismo. Isto ao fato do povo inglês ter passado por várias intempéries e conturbações populares, políticas e religiosas que o levou a ter uma unidade nacional inquestionável, já tendo todas as condições culturais para um autogoverno.
.....A França e a Inglaterra foram os primeiros reinos a acertarem a ordem em seus territórios.
.....Por outro lado, na Alemanha, todo este tormento político e religioso detonou a Guerra dos Trintas Anos entre católicos e luteranos que, mesmo após o acerto dos termos de paz, o Sacro Império Romano continuou na mesma situação inicial, com as mesmas confusões políticas e acirradas disputas pelo poder. Como nas palavras de Voltaire, o exemplo de como se figurava o povo Alemão:
....."O Sacro Império Romano não é nem Sacro, nem Império e nem Romano. É apenas uma pálida idéia da confusão reinante nesta relíquia de outra época".
.....O Sacro Império Romano tinha uma conotação de nação alemã apenas pelo uso da mesma língua, e, contudo, seu território ainda era dividido em mais de duas mil jurisdições separadas em principados, cidades imperiais autônomas, dioceses e feudos; e religião como outro motivo de discórdia. O imperador na realidade não governava, apenas reinava simbolicamente. Os verdadeiros governantes eram os sete príncipes mais importantes que, por interesses, elegiam o imperador. Três destes eleitores eram católicos, três eram seculares e apenas um rei absoluto, o monarca da Boêmia que era protestante.
.....A confusão alemã se evidenciava no Reichstag, reuniões dos nobres, nas quais, em sua maioria, por leviandade, os donos das cadeiras não compareciam fazendo com que nada se decidisse. Agravando mais ainda esta questão, vários representantes eram príncipes estrangeiros com grandes feudos na região, cujos feudos, lhes davam o direito ao voto. Assim, o Reichstag era nada mais que um jogo de xadrez entre os monarcas estrangeiros, nobres católicos, nobres protestantes e o imperador como figura decorativa. Os príncipes, na Alemanha, se viam, cada qual em seu território, com a espada do tirano em uma mão e na outra a tocha da liberdade.
.....No início do século XVII a Alemanha já se encontrava divida em quatro facções governamentais, todas em atritos entre si com o manto religioso escondendo a real luta pelo poder absoluto. Estes eram os católicos, os luteranos, os calvinistas e os partidários do imperador, todos da casa de Aubsburgo.
.....A confusão nesta parte da Europa foi tanta que, a Guerra dos Trintas Anos, mesmo tendo suas batalhas ocorridas em territórios alemães, envolveu praticamente todos os reinos europeus. Teve o envolvimento, por exemplo, da Espanha na defesa de seus interesses e, Portugal, oportunamente, reconquistou sua independência nas entrelinhas desta confusão.



Resumo histórico da Era dos Reis:
.....1.550 d.C.
.....Kepler entra como assistente no observatório de Thyco Brahe.
.....Na Inglaterra, Jaime I substitui a rainha Elizabeth.
.....Em Roma, início da Academia de Lincei, primeira sociedade cientifica do mundo.
.....Fracasso da Conspiração da Pólvora com intuito de derrubar Jaime I, na tentativa de explodir o prédio do parlamento.
.....Nasce Rembrandt em Leiden.
.....Orfeo, primeira ópera de Cláudio Monteverdi.
.....Formação da União Protestante dos príncipes Alemães.
.....Fundada a Liga Católica por Maximiliano da Baviera.
.....Astronomia Nova é publicada por Kepler.
.....O Mensageiro das Estrelas é publicado por Galileu.
.....Henrique IV da França é assassinado por um fanático religioso.
.....Na Suécia, sobe ao trono Gustavo Adolfo sucedendo seu pai Carlos IX.
.....Na Rússia, Miguel Romanov é aclamado como Czar dando início à dinastia dos Romanov até a revolução do povo de 1917.
.....Uma Anatomia do Mundo é escrita por John Donne com críticas a Nova Filosofia.
.....A Inquisição Católica condena a concepção do Sistema Planetário Heliocêntrico.
.....Prússia e Brandemburgo se unem em só governo sob um só soberano.
.....Início da Guerra dos Trinta Anos com a Rebelião dos Protestantes da Boêmia contra o Imperador Fernando I.
.....Derrota de Frederico V para a Liga Católica na Batalha da Montanha Branca.
.....Novum Organum é publicado por Francis Bacon, mostrando uma nova metodologia da ciência.
.....Jaime I arranca a folha do Livro de Atas na Câmara dos Comuns no qual contém protestos a sua coroa.
.....Em Paris nasce Jean Baptiste Poquelin, o poeta Molière.
.....Gian Lorenzo termina sua escultura, a Estátua de Davi.
.....Na Espanha, no reinado de Filipe IV, Velasquéz pinta para a corte.
.....Richelieu torna-se primeiro ministro de Luis XIII na França.
.....Ao lado dos Protestantes o rei da Dinamarca, Cristiano IV, entra na Guerra dos Trintas Anos.
.....Wallenstein cria um exército para o imperador Fernando I.
.....Na Batalha de Lutter, Cristiano IV é derrotado pela Liga Católica.
.....Na Inglaterra, o parlamento adota a Petição dos Direitos, exigindo do monarca a suspensão da prerrogativa real.
.....O Tratado da Circulação do Sangue é publicado por William Harvey.
.....Expedido pelo imperador Fernando I, o edito de Restituição, devolvendo a "Santa Igreja" todos os territórios confiscados desde 1.555.
.....Benini é eleito arquiteto oficial da basílica de São Pedro.
.....Ao lados dos Protestantes, Gustavo Adolfo da Suécia entra na Guerra dos Trintas Anos.
.....Na Batalha de Breitenfeld, Gustavo Adolfo vence a Liga Católica.
.....Morre Gustavo Adolfo na batalha de Lutzen, mas os suecos vencem Wallenstein, comandante das tropas da Liga Católica.
.....O Diálogo Sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo é publicado por Galileu.
.....Na Inglaterra, na corte de Carlos I, Antônio van Dyck torna-se pintor.
.....A Inquisição Católica obriga Galileu a desmentir suas teorias heréticas.
.....Na tentativa de purificar a língua francesa, Richelieu funda a Academia Francesa.
.....Entra em vigor a Paz de Praga, mas a França entra em guerra contra os Habsburgos.
.....Morre Fernando I e seu filho assume o Sacro Império Romano.
.....Encenação da primeira tragédia de Pierre Corneille, El Cid.
.....O Discurso do Método de René Descartes é publicado levantando a tese do mundo da razão.
.....Carlos I da Inglaterra tenta impor a Igreja Anglicana à Escócia.
.....Nasce Luis XIV, filho de Luis XIII e Ana da Áustria.
.....Galileu publica Os Discursos Sobre Duas Novas Ciências.
.....Em La Ferté-Milon, nasce o dramaturgo clássico francês Jean Racine.
.....Sobe ao trono em Bradenburgo-Prússia o rei Frederico Guilherme, o Grande Eleitor.
.....As Meditações de Descartes é publicada com a tese da mente sobre os sentidos.
.....Início da guerra civil na Inglaterra entre o parlamento e o rei Carlos por sua rejeição as Dezenove Proposições nas quais o poder passaria do rei para o parlamento.
.....Sobe ao posto de primeiro ministro na França o cardeal Mazarino com a morte de Richelieu.
.....A Ronda Noturna é pintada por Rembrandt.
.....Nasce Isac Newton.
.....Sob a regência de sua mãe, Luis XIV sobe ao trono com cinco anos após a morte do pai, o rei Luiz XIII.
.....Inventado o Barômetro pelo cientista e físico italiano, Evangelista Torricelli.
.....Os realistas são derrotados na batalha de Marston Moor pelo exército de Oliver Cromwell dando uma vitória decisiva aos parlamentares na Inglaterra.
.....Oliver Cromwell vence a batalha de Naseby encerrando a guerra civil na Inglaterra.
.....Inventada a primeira máquina de calcular do mundo por Pascal.
.....Carlos I se entrega aos escoceses.
.....O matemático e físico Gottfried Wilhelm Leibniz nasce na Alemanha.
.....Selenografia, o estudo ilustrado da Lua é escrito por Johannes Hevelius.
.....Início da segunda guerra civil na Inglaterra com Carlos I aliado aos escoceses.
.....Termina a Guerra dos Trintas Anos com a Paz de Vestfália.
.....Julgado e condenado como traidor, tirano, assassino e inimigo do povo, Carlos I é decapitado na Inglaterra.
.....Morre René Descartes em Estocolmo.
.....O Leviatã, tratado político sobre o estado de Thomaz Hobbes é publicado.
.....Luis XIV contrata para sua corte o músico italiano Jean Baptiste Lully.
.....Holanda e Inglaterra travam batalhas pelo controle do comércio ultramarino no Atlântico.
.....Cromwell se torna lorde na Inglaterra.
.....Dissolvido o parlamento inglês.
.....Carlos X sobe ao trono na Suécia após a abdicação da rainha Cristina.
.....Pascal vê Deus e troca a matemática pela religião.
.....A pressão atmosférica é provada por Otto von Guericke.
.....Carlos X ataca a Polônia.
.....Oceana é publicada por James Harrington com uma nova concepção da Utopia de Platão.
.....Encenada a primeira comédia de Moliére, As Preciosas Ridículas, uma afronta aos costumes da época.
.....Inventado o primeiro gerador elétrico radioativo por Von Guerick.
.....Suécia e Polônia entram em acerto com o Tratado de Oliva.
.....A Prússia é reconhecida como estado livre e soberano.
.....Na Inglaterra é restaurada a monarquia com Carlos II.
.....Morre na França, Mazarino e o rei Luis XIV começa efetivamente seu reinado.
.....Formulada a lei dos gases por Roberty Boyle.
.....Publicado O Químico Cético por Roberty Boyle.
.....Esculpido, em Paris por Benini, o busto de Luis XIV.
.....Sobe ao trono da Espanha o último rei Habsburguês Carlos II com a morte de Filipe IV.
.....O físico inglês Robert Hooke publica Microgrhaphia descrevendo as células vegetais.
.....Fundada a Academia de Ciências da França por Jean Baptiste Colbert.
.....A Peste Negra mata mais de sessenta mil pessoas em Londres.
.....Dois terços da cidade de Londres é destruída por um grande incêndio.
.....Paraíso Perdido é publicado por John Milton.
.....Racine escreve Andrômeda.
.....Luis XIV inicia a guerra francesa contra os países baixos visando tomá-los das mãos dos espanhóis.
.....Com suas fábulas, Jean de La Fontaine, se torna o escritor mais lido na França.
.....Formada a Tríplice Aliança entre Inglaterra, Holanda e Suécia contra as agressões .....francesas do exército de Luis XIV.
.....Secretamente, Carlos II da Inglaterra e Luis XIV da França se aliam pelo Tratado de Dover.
.....O cartesianismo é atacado por obra póstuma de Pascal, Os Pensamentos.
.....Carlos II e Luis XIV unem-se na guerra contra os holandeses.
.....Fundada a Real Academia de Música na França por Jean Baptiste Lully.
.....Codificando o estilo literário francês, Nicolas Boileau publica A Arte Poética.
.....O holandês Anton van Leewenhoek faz a primeira descrição dos glóbulos vermelhos do sangue humano.
.....A Inglaterra se retira da guerra contra a Holanda.
.....A Epopéia Burlesca do Puritanismo é concluída por Samuel Butler.
.....O Franco-Condato é adquirido pela França ao final da guerra contra a Holanda no Tratado de Paz de Nijmegen.
.....Transferência da corte de Luis XIV para o novo palácio de Versalhes.
.....Absalom and Achitophel, Sátira publicada por John Dryden.
.....Edmund Harley estuda o cometa que hoje leva seu nome.
.....Invasão turca nos territórios Habsburgueses e cerco a Viena.
.....Nasce John Sebastian Bach e George Frederich Handel.
.....Luis XIV revoga a liberdade religiosa dos huquenotes pelo Edito de Nantes.
.....Isac Newton publica Philoshophia Naturalis Principia Mathematica comprovando a lei da gravidade.
.....O parlamento inglês, descontentes com o governo de Jaime II, convida Orange para invadir a Inglaterra.
.....Em defesa da liberdade religiosa são publicadas as cartas de John Locke, As Cartas sobre a Tolerância.
.....A Declaração dos Direitos estabelece o governo constitucional da Inglaterra e Guilherme e Maria são declarados soberanos do país.
.....Publicados os Dois Tratados sobre o Governo Civil de Locke em favor da revolução.
.....Morre a rainha Maria da Inglaterra de varíola.
.....Fundado o Banco da Inglaterra para emprestar dinheiro ao governo.
.....Publicação do primeiro dicionário francês pela Academia Francesa.
.....Nasce na França, Voltaire.
.....Findada a Guerra Santa contra os turcos pelo Tratado de Karlowitz.
.....1.700 d.C.
.....Início da Grande Guerra do Norte entre a Suécia e a aliança da Polônia, Dinamarca e Rússia.
.....Os suecos vencem os russos na batalha de Narva.
.....A comédia de William Congreve, The Way of the World é publicacda.
.....Inglaterra, Holanda e Áustria se unem contra Luis XIV na Grande Aliança.
.....Início da guerra da sucessão na Espanha, incitando a França contra a Grande Aliança.
.....Na batalha de Blenhein, sob o comando de Marlborough, os franceses são derrotados pelo exército anglo-holandês.
.....Na batalha de Poltava o exército russo esmaga o exército sueco de Carlos XII.
.....Completada a obra da catedral de São Paulo por Sir Christopher Wren.
.....Terminada a guerra da sucessão espanhola pelo Tratado de Paz de Utrecht, estabelecendo uma nova ordem na Europa.
.....Monadologia é publicada expondo a teoria de que o Universo é formado por partículas chamadas mônadas.
.....Após 72 anos de reinado, a França perde seu maior rei. Morre Luis XIV.

 

.