O Homem na 1ª Grande Guerra Mundial...
.....Entre os resultados que a Revolução Industrial trouxe para a Europa, evidencia-se a principal: sua hegemonia cultural, econômica e social em relação ao resto do mundo, ficando com ela, o status de civilização mãe.
..... A classe burguesa se desenvolveu a tal ponto por toda a Europa que, sua supremacia social e econômica caracterizou governos, sociedades e o comércio internacional.
.....Nos interesses políticos e conflitos internos, a própria Europa ditou uma de suas maiores tragédias, a Primeira Guerra Mundial...

.....Perde a hegemonia e o brilho o povo europeu.
.....O apogeu em que a Europa se encontrava no início do século XX foi decorrente do crescimento mercantilista e da política colonial, cujos motivos criaram os princípios do primeiro conflito generalizado que a humanidade já vira.
.....Com o tempo os paradoxos do Liberalismo trouxe à tona todos os problemas sociais e econômicos da Europa. A busca desenfreada por novos mercados de consumo causou a crise de super produção e a miséria do proletariado em meio a tanta fartura. A Primeira Guerra Mundial é de fato, esta crise representada na prática em um só ato.
.....No início da primeira década do século XX, a Europa detinha a supremacia econômica e política sobre todo resto do mundo, salvo apenas o Japão e Estados Unidos. Ditava os preços no mercado mundial e tinha o maior volume de investimentos no estrangeiro. Importava produtos agrícolas e matéria-prima das colônias - hoje, países do Terceiro Mundo.
.....Olhando a Europa de perto, nos desvinculando da Europa como um bloco unido e a encararmos como realmente era, a veremos como um amontoado de nações, as quais, o monarquismo era predominante, ficando de fora apenas Portugal, Inglaterra e Suíça com suas repúblicas parlamentaristas. O absolutismo despota ainda vigorava nas monarquias como a da Alemanha e do reino Austro-Húngaro.
.....Neste amontoado de nações temos as diferentes crises econômicas e sociais aliadas à concepção de interesses particulares de cada nação e sua classe dominante. Na Europa centro oriental, por exemplo, havia a nobreza predominando com seus sistemas de tributações injustos, e, nos países da Europa ocidental, a predominância das indústrias, colocando em disputa os burgueses e o proletariado. Já na Rússia, um eminente início de revolução social contra a indiferença czarista sobre o povo.
.....Somente o Japão e os Estados Unidos estavam fora das influências européias. O Estados Unidos, em particular, já tinha seu lugar no mercado como uma potência intervindo comercialmente no mercado em conjunto com a Europa e, recebendo assim, quase todos os investimentos ingleses nos quais se alicerçava. O Japão, por conta da revolução Meiji, abriu seus portos ao Ocidente e entrou na corrida colonialista comercializando em territórios da Ásia Oriental como o da China e o da Manchúria.
.....Nesta fase, o clima na Europa estava frenético, cheio de antagonismos entre seus governantes fazendo com que fechassem alianças em segredo uns com os outros, nos quais, cada qual se assegurava em seus interesses...
.....Os países na Europa que despertaram tarde para industrialização começaram a reivindicarem uma nova divisão dos territórios coloniais e rotas comerciais, pelas quais, sem estas, seria impossível se estabelecerem em novos mercados para terem o fornecimento de matéria-prima e darem início aos seus processos de industrialização. As disputas começaram a tomar rumos militares, caracterizando uma desenfreada corrida armamentícia por todos os países da Europa. Como fatores de antagonismo entre estas nações, olhando com clareza e de modo resumido, veremos o desfecho latente do início da guerra, tendo a Alemanha em comum, a necessidade de sua expansão comercial em contraste com praticamente quase todos os países da Europa.
.....A Inglaterra não era mais a "Oficina do Mundo", sendo substituída pela Alemanha já unificada e desenvolvida, mesmo que tardiamente. Não obstante, a Alemanha sem territórios coloniais e sem áreas de investimentos começou uma política naval de extrema agressividade, ameaçando o comercio naval Inglês. Também retomaram seus antigos territórios, ora em posse da França, impossibilitando a travessia dos franceses para o Marrocos, pondo assim, toda Europa de prontidão. O apoio alemão aos territórios dos Bálcãs contra os interesses russos nas disputas do controle dos Estreitos de Dardanelos, tinha a intenção de evitar a expansão russa em territórios do imperialismo alemão, foi, politicamente, uma declaração de guerra. Colaborando ainda para este cenário, a Sérvia entra em conflito interno, exigindo a independência da Albânia.
.....A esta altura, a Europa já estava subdividida em três blocos de coalizão, sendo: Alemanha, Ásutria-Hungara e Itália na Tríplice Aliança, França e Rússia formando a Entente e por último, a França e Inglaterra formando a Entende Cordial.
.....Ideologicamente, o imperialismo das nações fora escondido sob o manto do movimento nacionalista de cada nação, sendo: Pangermanismo na Alemanha, no qual o alemão era a super-raça, o Revanchismo, idéia dos franceses frente às suas perdas e as humilhações sofridas no final do século XIX e, o Pan-Eslavismo, idéia de proteção do povo russo contra as nações eslavas.
.....O poderio bélico já estava em alta em todas as nações da Europa, pondo em prática todos os inventos e conceitos da ciência e tecnologia, como a introdução de rifles, carros blindados, venenos, navios blindados, submarinos, aviões etc. A Europa estava de palco pronto, esperando apenas um pretexto político para iniciar o conflito.
.....Este pretexto foi o assassinato do arquiduque, herdeiro do trono austríaco, Francisco Ferdinando, por um estudante da Bósnia-Herzgovina, província austríaca reivindicada pela Sérvia. A partir deste ato, em efeito cascata, desencadearam, uma a uma, as declarações de guerra envolvendo praticamente todo o mundo.
.....A Áustria, incentivada pela Alemanha, mandou um ultimato à Sérvia que, por sua vez o ignorou levando a Alemanha a declarar guerra. A Rússia entrou na guerra a favor da Sérvia que, por sua vez, recebeu um ultimato alemão para retirar suas tropas do conflito. O não atendimento levou a Alemanha declarar guerra também contra a Rússia. Em seguida, a Alemanha declara guerra à França, por esta ser aliada da Rússia.
.....Com a invasão da Bélgica pela Alemanha, os ingleses entram também na guerra. A Itália ficou neutra alegando seu acordo com a Tríplice-Alinça, no qual, só entraria na guerra se Alemanha ou Áustria fossem, literalmente, invadidas.
.....Em meio ao conflito, com praticamente todas as nações européias aniquiladas, o Estados Unidos entra na guerra a favor das Ententes, mudando o rumo das batalhas que, neste dado momento, estava nas mãos da Alemanha. Por fim, vencem as Ententes.
.....Podemos afirmar hoje que a Primeira Guerra Mundial nada mais foi que uma grande guerra civil européia, cujos resultados pós-guerra levaram os Estados a reverem seus conceitos políticos e suas administrações.
.....Neste conflito, a população sentiu na pele os horrores de uma guerra, pois até então, os conflitos eram isolados e de pouca duração, longe da população civil. Assim, os Estados passaram a controlar a economia e, principalmente, os preços dos bens de consumo.
.....As liberdades políticas foram extintas e os parlamentos passaram a ter sentido figurado, ficando ao executivo a voz das ordens e decisões. Já na Rússia, houve uma revolução civil interna, a Bolchevista, inaugurando o socialismo na prática, derrubando o czarismo que, teve hironicamente o total apoio da burguesia russa.
.....O pós-guerra foi marcado pelo desequilíbrio da produção e consumo despontando a inflação como principal aspecto econômico, agravando ainda mais o desequilíbrio social. Achatou a classe média e aumentou a pressão do proletariado por conta dos sindicatos socialistas, emergentes até então.
.....A idéia de revolução era latente em todos os países derrotados, principalmente pelos acordos de paz do pós-guerra que colocou estes países em grande desvantagem; praticamente impossibilitando-os de se reerguerem.
.....A guerra que veio por fim a todas as guerras, por ironia, gerou os conflitos que resultariam na Segunda Guerra Mundial e esta, de parâmetro literalmente mundial.

 

.