A origem do Homem Moderno...
.....Curiosamente a ciência, mesmo sendo sempre atacada e abafada desde seus primórdios pelas manifestações políticas e religiosas, acaba explicando em sua grande parte as duas maiores perguntas universais: Quem somos e de onde viemos?

.....A genética, área da ciência moderna, descobriu uma curiosa coincidência nas mitocôndrias humanas. Mostrou ao mundo que genes mitocôndriais iguais foram detectados entre o Homem Moderno, de diversas partes do mundo, e de um fóssil de certa mulher ancestral direta do Homem no leste da África, que viveu há cerca de 150 mil anos atrás, evidenciando a nós o elo perdido.
.....Com esta descoberta em mãos, os cientistas refizeram o mapa de trás para frente e desvendaram muitas perguntas, ou, digamos, quase todas, pelo menos no que diz respeito a segunda pergunta universal: De onde viemos?
.....A teoria mais aceita é de que viemos no “início” do leste da África até o Canal do Pesar, cruzando-o até as planícies fértes do Iêmem por um grupo de no máximo 250 indivíduos que, nestas verdes montanhas, andando, caçando e coletando, sendo transformados pela seleção natural, lutando contra a própria extinção, acabaram por povoar o mundo, desenvolvendo-se em várias raças.
.....Poderíamos chamar, didaticamente de “eva” este fóssil de mulher de 150 mil anos de idade, cujo DNA mitocôndrial é igual ao DNA mitocôndrial de qualquer mulher de qualquer lugar no mundo hoje. A “eva”, a mãe da humanidade, pertencia há um grupo de Homo Erectus, habitantes do leste africano, que, fugindo da glaciação e atendendo ao seu instinto de animais caçadores, coletores e nômades, foram atrás da da caça em sua migração, rumo ao norte, mais quente na época.
.....Como a caça era a chave da sobrevivência e se exigia imaginação, raciocínio lógico e comunicação, o Homem automaticamente começou a desenvolver armas mais leves e eficientes, bem como sua capacidade mental, na qual se observa a primeira mutação em um outro fóssil, também de mulher, que viveu 40 mil anos depois da primeira “eva”.
.....Alguns grupos permaneceram no continente, dividindo a cadeia evolucionária, sendo estes os povos antigos que vivem na atual África, cujo DNA mitocôndrial é diferente, em pouco se diga, mas diferente do restante da população do mundo.
.....Outros migraram para a Europa, pelo norte da África, através do canal de Suez, seguindo o litoral do Oriente Médio, mas não se tem indícios que tenham sobrevivido. Mesmo porque não há nenhum elo entre qualquer hominídeo africano comparado com os Homens de Neandertal que viveram entre 250 mil a 50 mil anos atrás. Foram extintos quando oo Homem de Cro-Magnon chegou em seu habitat, milhênios mais tarde.
.....O grupo da segunda “eva” migrou até o litoral do nordeste africano, passando quase toda a glaciação lá como animais coletores de praia, encontrando um habitat confortável para a reprodução e subsistência. Com o tempo e aumento da população, com a comida ficando escassa; foram obrigados há um feito épico. O de maior importância na história do Homem. Atravessaram o Canal do Pesar migrando do nordeste africano para as planícies do Iêmem, no Oriente Médio. Naquela época, o nível do mar estava 45m mais baixo, aflorando várias ilhas e bancos de areia que facilitaram sua passagem. Dos 15km percorridos, cerca de duzentos indivíduos conseguiram a façanha, garantindo a atual existência do Homem no mundo.
.....No litoral da Arábia, vivendo em subgrupos familiares de 5 a 20 indivíduos por família, o DNA mitocôndrial foi se unificando, entrando na Lei de Deriva, até ficar só o DNA original, o mesmo da primeira “eva” de 110 mil anos atrás.
.....Cerca de seis mil anos mais tarde houve outra migração, conquanto uma parte ficou no litoral da Arábia e outra seguiu a linha litorânea em direção a Índia e a Malásia.
.....O grupo que permaneceu no litoral da Arábia não tinha como migrar para o norte do Oriente Médio, porque durante 60 mil anos houveram dois desertos impedindo o caminho à Europa e norte da Ásia. O deserto da Arábia e o deserto da Líbia.
.....O grupo que seguiu o litoral chegou até a Malásia, deixando vários subgrupos no caminho com o mesmo DNA mitocôndrial.
.....A explosão de Toba, cerca de stenta mil anos atrás, a maior explosão em 2 milhões de anos que o mundo já vira, fossilizou uma industria de artefatos de pedra de um destes grupos. Os sobreviventes ficaram e se desenvolveram isoladamente até o povo atual dos Seuangs, cuja pele ainda é negra, os cabelos são crespos e os narizes achatados; são verdadeiros representantes do antigo povo africano que migrou para a Malásia e, seus DNAs, iguais aos nossos e iguais ao da primeira “eva”.
.....Nesta mesma época, forçados a migrar ainda mais pelo litoral, pelos seis anos de inverno e escuridão total causado pela explosão Toba, cruzaram 75km de mar aberto, ainda 45m mais baixo, até o continente da Austrália, dando origem ao povo dos aborígines autralianos que, como os Seuangs, se desenvolveram isoladamente, apenas se adaptando fisicamente e culturalmente a nova terra. Como animais caçadores e coletores, dizimaram a maioria dos animais da região.
.....Com a rápida melhora do clima, perto de cinqüenta mil anos atrás, o grupo que permanecera no litoral da Arábia pode então, fazer sua jornada pelo crescente fértil entre os rios Eufrates e Tigre. Lá se fixaram e depois em debandada foram tanto para o ocidente como para o oriente. Pelo oriente, foram migrando e ocupando desde o norte da Índia até a Sibéria, do oeste oriental até as ilhas do Japão. Sempre atrás da caça, função que fê-los evoluir sempre seus intelectos e suas mentes.
.....Por meio da seleção natural o Homem foi se evoluindo de diversas maneiras e aspectos, sempre acompanhando seu novo habitat e ficando diferentes a cada novo grupo. Formaram os povos antigos da Ásia, os caucasianos e mongolóides, não importando a nova raça, todos com o mesmo DNA mitocôndrial, provando sua descendência da primeira “eva” do leste africano. Por esta mesma rota, na última glaciação, o Homem por várias vezes, em busca de melhor habitat, cruzou o estreito de Bhering, povoando todas as Américas. O grupo que ficara no crescente fértil no Oriente Médio, tomou o rumo do oeste migrando primeiramente pelo norte da atual Alemanha e de lá, tanto pelo litoral mediterrâneo, como pelo interior mais ao norte, desenvolveu suas habilidades de forma particular. Foram os primeiros a criarem a arte, a cultura e, ainda, há indícios de que tenham plantado as primeiras sementes do rito, da religião e da política.
.....Viveram na mesma época, disputando o território, com os já habitantes e reinantes Homens de Neandertais. Uma raça diferente, mas humana, cuja descendência ninguém explica até hoje. Seu DNA mitocôndrial não se compara em nada com o DNA mitocôndrial da primeira “eva” e dos Homens atuais.
.....Foram extintos contando cerca de dez mil anos após a chegada do Cro-Magnon na Europa.
.....Desta fase humana para a próxima, é o que conhecemos coma a idade antiga, na qual surgem as primeiras tribos familiares, se desenvolvendo, respectivamente, em tribos plurifamiliares, aldeias, cidades e, no centro de crescenete fértil, as cidades organizadas socialmente, depois os estados e os grandes impérios, como por exemplo, o Sumério. Lá se desenvolveu a escrita, as leis etc.

 

.