Conceitos gregos...


.....Todos os conceitos gregos, que hoje temos conhecimento e levamos como máximas em nossas vidas cotidianas, foram especulados pela simples deliberação da imaginação. Os gregos foram os primeiros a dar a devida importância ao fato de poderem abstrair coisas. Todos os nossos sistemas sociais, científicos, religiosos etc., foram estudados pelos gregos por meio da observação, imaginação e raciocínio lógico, misturados aos resultados práticos das próprias experiências empíricas do desenvolvimento de coisas como a democracia, valorização do Homem em si, a matemática e outras mais, com tanta ou mais importância...

.....São citados aqui alguns conceitos elaborados e desenvolvidos pelos gregos durante séculos e que, por mais milhares de séculos, chegaram até nossos dias nos quais suas bases ficaram, em sua síntese, "intactos".

.....Conceito do valor individual
.....A concepção que os gregos tinham de seu lugar no mundo os faziam considerar a idéia de individualidade. Cada homem tinha seus anseios e desejos em particular, entendo as diferenças entre outros indivíduos e as respeitando. A relação entre os gregos era de maneira amistosa, educada e com o máximo de respeito, tendo a honra, ética e a moral traduzidos em um único código de leis custumeiras. Agiam sempre com ponderação e bom senso nos assuntos de diferentes interesses. Tanto na paz como na guerra, se organizavam de maneira democrática, como por exemplo, Xenofantes ao assumir o comando de um exército com mais de dez mil homens, no retorno para a Grécia, atravessando um território inimigo, explicou seu plano e em seguida perguntou:
....."Se alguém tem a propor um plano melhor, que o faça agora".
.....Assim como os cargos públicos, os generais também eram eleitos, sendo que um grego poderia ir a pé como soldado raso em uma batalha e, em outra, à cavalo no comando de um exército. As guerras eram consideradas a maior prova individual, estando acima até dos interesses divinos. Como exemplo da valorização própria e confiança nas próprias forças, o herói espartano Leônidas, em meio as Guerras Pérsicas, encurralado num desfiladeiro da Termópilas, quando ouviu dizer que as flechas do inimigo eram tantas que cobriam até o Sol, respondeu:
....."Tanto melhor, combateremos à sombra".

.....Conceitos mentais e físicos
.....Tinham o mesmo respeito e davam o mesmo peso para as coisas da mente e as coisas do corpo. Sabiam que os pensamentos e o físico eram dependentes um do outro, como já dizia Sócrates:
....."Mente sã em corpo são".
.....Acreditavam piamente que a excelência da vida era a perseguição da perfeição. Um Homem só seria completo se dominasse o atletismo, filosofia, direito, arte ou qualquer outra atividade de grande valor individual e, ao mesmo tempo, comunitário. Como exemplo, temos Sócrates que além de filósofo, foi um esforçado estudante de escultura e excelente soldado; o dramaturgo Sófocles, foi um general e, por várias vezes, tesoureiro, diplomata e sacerdote nos templos. Nos jogos e festivais de atletismo, a mente, como o corpo, era também venerada por meio de competições de poesia, música, teatro, temas filosóficos etc.

.....Conceitos científicos
.....Desenvolveram, por conta da observação e abstração lógica, coisas como a definição do átomo, teoremas matemáticos e aritméticos, teses sobre as coisas e causas da natureza, idéias sobre a mente, como a psique etc. Entenderam que a religião era distante das coisas reais e assim deixaram os deuses de lado e procuraram no mundo empírico as explicações para coisas como as doenças, fundamentando a ciência como objeto de especulação e estudo. Como exemplo, a medicina, que obrigou os gregos a estudarem anatomia, plantas medicinais e muito mais. Tiveram na filosofia, uma matéria pertinente à todo o não explicado e que foram de maneira inteligente organizadas, estudas, discutidas e registradas. Aprenderam por meio da observação, entender e calcular fatos e acontecimentos, prevendo por meio da lógica e de cálculos matemáticos, fatos futuros, desenvolvendo o intelecto de maneira sem igual no mundo antigo.

.....Conceito de estética
.....Os gregos tinham na escultura a mais sublime das artes, com as quais conseguiam expressar a representação da perfeição, pois, os artistas poderiam, como os deuses, criar formas de perfeita excelência de maneira tridimensional. Representavam sempre o Homem, mesmo que seus monumentos fossem em honra aos deuses ou comemorações de vitórias. Variavam a representatividade de acordo com a conotação humana.
.....Na literatura, os gregos encontraram uma maneira sublime de comunicação indo além dela em si. Desenvolveram a escrita como arte, passando seus assuntos abstratos e reais uns aos outros de maneira nobre, respeitando sempre a linha de raciocínio, mas com uma inspiração literária não encontrada em nenhum outro povo da época.
.....Os vasos, além da função prática e fora sua característica artística como cerâmica em suas mais variadas formas e designers inovadores, tinham também como complemento as pinturas, sempre representando o Homem e suas histórias. Com beleza inigualável, levaram os gregos a grandes riquezas, exportando a arte para todo o mundo antigo que apreciavam a audácia representativa das figuras humanas com temas da criação.
.....A música foi especulada em seus fundamentos matemáticos e psicológicos chegando a se tornar uma importante coisa na vida grega. Quase tudo era feito sob música ao fundo. Os registros eram escritos em formas poéticas, dando mais que apenas o registro em si.

.....Conceito do raciocínio lógico
.....Em tudo que faziam, os gregos especulavam os "por quês", dando vasta importância para coisas como a metafísica, as coisas da natureza, os resultados aparentes e, por conseqüência, desenvolveram um sistema de raciocínio que os levaram a sempre pensar e não a ter apenas pensamentos. Assim nasce a lógica, com a qual tudo no mundo tem sua razão de ser e toda ação uma reação, e não obstante, uma coisa se dá como resultado de determinada outra coisa. Neste sentindo, começaram a prever o futuro de suas próprias ações e mais tarde, a criar coisas e resolvê-las apenas na mente, abstraindo as preposições e proposições por conta da pura lógica.
.....Segue um diálogo de Sócrates com Laches, escrito por Platão, no qual vemos a lógica em ação:
....."Sócrates: Tenho certeza, Laches, de que consideras a coragem uma qualidade muito nobre.
.....Laches: Muito nobre, decerto.
.....Sócrates: E julgas que uma persistência sensata seja também boa e nobre?
.....Lanches: Nobre.
.....Sócrates: Mas que dirás de uma persistência insensata? Não deve ser considerada, ao contrário, má e prejudicial?
.....Laches: É verdade.
.....Sócrates: Olha o caso de um cidadão que persiste na guerra, está disposto a lutar, e, sensatamente calcula e sabe que os outros o ajudarão. Sabe também que haverá contra ele, menos homens e, inferiores ao lado dele e supõe que tem a vantagem da posição. Diria de tal cidadão que ele e, algum cidadão do exército contrário que está em circunstancias opostas a esta, e que apesar disto persiste e fica no seu posto, eu pergunto: Qual é o mais bravo dos dois?
.....Laches: Acho que é o segundo o mais bravo.
.....Sócrates: Mas isso não é de certo uma persistência corajosa e insensata?
.....Laches: Isso é verdade..."

.....Conceito democrático
.....O conceito de democracia e o de sistema de governo democrático é exclusivamente concebido e desenvolvido inicialmente pelos gregos. Difícil de se imaginar tal concepção no tempo em que foi criada e aplicada na prática, cerca de 2.500 anos atrás. Prezavam a ordem e a liberdade e, para assegurá-las, criaram leis e elegiam as pessoas que as faziam cumprir e ainda, não obstante, seus eleitores prestavam honrosa obediência. Refutavam sempre que podiam a tirania e a corrupção, banindo os infratores sob a pena de morte se voltassem a cidade na qual cometeram os crimes contra a liberdade e ordem social. Entendendo melhor; para os gregos: "Quem se levantar contra um corrupto ou tirano e o matar, será isento de culpa".
.....Nenhum grego estava esquivo de servir em algum cargo público, independente até da sua classe social, pois, estes cargos eram preenchidos por eleição ou sorteios.

 

.