Resumo dos principais filósofos...

Peirce (1.839 - 1.914)




.....Nascido em Cambridge, Massachusetts. Seu professor de matemática e astronomia foi seu próprio pai na universidade de Harvard, conquanto, o introduziu ao mundo intelectual logo cedo.


......Aprendendo a testar as coisas somente sob experiências, desenvolveu seu aguçado talento científico. Estudou e deu aulas em Harvard de lógica e história da ciência. Por fim, abdicou-se de tudo e se dedicou inteiramente aos estudos filosóficos.
.....Elaborou o pragmatismo e, descrito pelo próprio filósofo como um:
....."Método de determinar os significados de palavras difíceis e concepções abstratas."
.....Suas idéias foram desenvolvidas em meios a coisas obscuras constituindo em sua maioria a seguinte máxima:
....."Concebemos um objeto de nossas concepções considerando os efeitos que podem ser concebíveis como suscetíveis de alcance prático. e, assim sendo, nossa concepção destes efeitos equivale ao conjunto da nossa concepção do objeto."
.....Teve originalidade em pensar sobre coisas como lógica simbólica, ética, estética e religião nos seus aspectos epistemológicos e metafísicos. Desenvolveu também várias lógicas algébricas que nada mais eram que grupo de símbolos dirigindo, por meio de leis de transformação, quando eminente, a emersão de mais grupos de símbolos podendo serem estes usados para a representação das relações entre os conceitos da lógica e, assim, as explicando. Logo, cada signo que tenha seu significado próprio, mostra que é passível de desenvolvimento em conceitos de outros signos.
.....Morreu pobre e sem publicar seus livros. A universidade de Harvard os comprou e os organizou em uma coleção de manuscritos, rascunhos, artigos e críticas com o título "Collected Papers".
.....Suas teses pragmáticas indicam terem sidas inspiradas nas discussões de um grupo filosófico intitulado de Clube Metafísico, no qual, o filósofo fazia parte.
.....Afirmava ser nossas idéias, os efeitos sensíveis e, imaginado outros efeitos, estaríamos nos auto-enganando.
....."É um absurdo afirmar que o pensamento possuí qualquer sentido não relacionado a sua função única."
.....Defendia a tese de que o pensamento era uma coisa que usamos para passarmos da dúvida para a crença, ficando a verdadeira dúvida como coisa ocorrente, sendo impossível ser provocada pelo intelecto, mas que empurra o Homem em direção à crença, resolvida apenas pelo pensamento.
.....O aperfeiçoamento da dúvida pelo pensar nos dá como resultado as crenças em leis de ação, sendo estas, reveladoras do significado da crença em si, derivada delas próprias. Nesta concepção, teorizou sobre a hipótese de o Homem entender mal os significados e, por isso, gerar problemas e dúvidas não reais, assegurando que seu sistema pode, por meio de seus critérios, esclarecer as crenças e mostrar as justificativas possíveis. Como ele mesmo se perguntava:
....."Como tornar nossas idéias claras?"
.....Estas concepções filosóficas foram adotadas e desenvolvidas pelo filósofo Willians James. James entendeu seu conceito básico situado apenas no que tange a dúvida e, aceitou este sistema que estabelece significados como significados empíricos. Assim, James ajuda a tornar o pragmatismo uma teoria de significado e verdade.
....Pierce, ainda desenvolvendo suas concepções lógicas sobre as relações, imputou uma cosmologia evolucionária, na qual, ele mesmo a denominou sinequismo. Para Pierce, sinequismo era a visão pela qual existe um Universo com tendência para a direção do desenvolvimento contínuo e uniforme, explicando o passado em relação ao presente por conta da memória como suas condições de existência. Alegava serem as leis cósmicas iguais para todos os homens.
......Exemplificou sua idéia por meio de abstração cósmica, admitindo em um passado muito distante, na época do Caos, na qual as coisas, conforme iram acontecendo, iram determinando as regras e as leis para acontecimentos futuros, diminuindo a aleatoridade até se chegar nas coisas organizadas, tendo este conceito hoje já inserido na natureza do Homem em seu processo da dúvida à crença. Falava sobre uma "Racionalidade Concreta", conquanto as dúvidas, neste processo contínuo, sendo eliminadas, entenderia-se as leis e todas as suas relações com o Universo, elevando a graça física e racional em relação a todas as coisas.
 

.