Resumo dos principais filósofos...

Leibniz (1.646 - 1.716)


.....Matemático, físico, engenheiro, inventor, historiador, diplomata e filósofo. É natural de Leipzig, na Alemanha do final da guerra dos Trinta Anos. Dentre suas idéias filosóficas, cita-se, como curiosidade, o melhoramento da máquina de calcular de Pascal.


.....Começou seus estudos em idade precoce com seu pai, catedrático na universidade de Leipzig. Este ensinou-lhe a ler e escrever, conquanto, seu desenvolvimento intelectual, daí por diante, se deu sob seus olhos. Vários foram os convites das universidades para lecionar quando formado. Na procura pelo conheciemnto, fez várias viagens para se encontrar com outros pensadores, como por exemplo, Malembranche.
.....Suas teses eram elaboradas com fundamentos nas matérias as quais estudou desde seus quatorze anos. Formulou uma metafísica por qual a realidade última consistiria em número infinito de substâncias não materiais, chamando-as de Mônadas:
....."Mônadas são substâncias simples, sem partes e sem entradas, por meios das quais, qualquer coisa possa entrar ou sair."
.....Para ele, Deus era um ser perfeito e, baseado na infinidade de mundos possíveis, criou o melhor dos mundos, no qual, tudo se dá nos padrões estabelecidos por Ele. Acreditava também que só na filosofia se poderia entender e explicar as respostas das dúvidas políticas e teológicas, assim como, formular uma base sólida para a emergente ciência e matemática. Idealizava juntar todos os conhecimentos, pelos quais, o Homem necessitando de soluções, poderiam procurá-las em um sistema catalogado com formas completas e resumidas, separadas caso a caso, sobre todos os temas. Visualizava uma enorme síntese universal em forma de enciclopédia.
.....Houve controvérsia sobre sua autoria do cálculo infinitesimal contra Newton, ficando a Newton, as congratulações por este último ter mais influência. Entretanto, hoje é decididamente considerado inúmeras vezes melhor seu sistema ao de Newton.
.....A maioria de seus tratados e idéias foram ignorados pelos seus contemporâneos, mas que hoje são largamente aceitos, considerando Leibniz, um cidadão do mundo nascido em época errada. Suas teses estavam muito adiantadas em relação aos conceitos e preconceitos de sua época, ou talvez, tenham sidas ignoradas de propósito, por terem em Leibniz, uma pessoa extremamente arrogante e de idéias opositoras ao nacionalismo, além da sua ideologia de implantar uma sociedade universal, coisa inadmissível em sua época.
.....Seus principais trabalhos foram o "Discurso de Metafísica", "Novos Ensaios Sobre o Entendimento Humano", "Ensaios da Teodicéia" e a "Monadologia", dos quais, somente a obra os "Ensaios da Teodicéia" foi publicada quando Leibniz ainda era vivo. Trocava correspondências com Antoine Arnaud tratando sobre a liberdade e o conceito do indivíduo e, com Clarke, sobre o mundo newtiniano.
.....Seus trabalhos só foram catalogados e publicados no século XX, e ainda, encontra-se muitos escritos a serem catalogados.
.....Descartes afirmava existir duas substância no Universo, Spinosa apenas uma, e Leibniz, defendia a idéia da existência de infinitas substâncias, as Nômadas, unidades simples de existência, nas quais, cada uma se diferencia da outra sem possuir extensões ou partes. Logo, para Leibniz, a realidade última não consiste de coisas físicas, alegando a idéia de as Nômadas não serem matéria, e sim, uma espécie de energia com consciência governando o Universo. Os homens são um conjunto de determinadas Nômadas, uma colônia, por assim dizer, pelas quais, a principal Nômada é uma Nômada espiritual governando o restante das Nômadas, dando consciência aos homens em si.
.....Estas Nômadas só podem ser criadas e destruídas por Deus e, ainda, todas de uma vez... Cada Nômada, quando de sua criação, ganhou sua potencialidade total do que poderia vir a ser. Cada unidade se relaciona harmoniosamente sem que uma interfira na outra. Alega que Deus criou o mundo baseado nestas singulares e infinitas partículas, nas quais não se obtém a perfeição em relação ao perfeito que, do contrário, Deus criaria a si mesmo.
.....Deus tem o conhecimento do desdobramento de cada Nômada em relação ao todo, observando-se assim, cada Nômada como uma extensão de outra infinitamente. Isto é explicado melhor nas próprias palavras de Leibniz:
....."Esta conexão ou adaptação da totalidade da criação com cada um, e de cada um com todo o resto, significa que cada substância simples possui relações que expressam todas as outras, e isto, conseqüentemente, é um espelho vivo e perpétuo do Universo."
.....Assim, podemos entender que cada Nômada pode espelhar o Universo de um ponto de vista diferente por serem feitas como se existissem muitos Universos diferentes, pelos quais, não passam apenas de Universos vistos por perspectivas diferentes de um único Universo. Cada Nômada é uma representação sensível da totalidade sem mostrar toda a totalidade, dando este fato, apenas à Deus.
.....Assim, tudo e todas as coisas, inclusive os homens em seus aspectos particulares, tem uma harmonia pré-estabelecida por Deus e que, cujo conhecimento final, é dado somente por Ele.
.....Defendia a lógica como seu principal fundamento, com a qual, uma afirmação que contenha uma contradição é falsa e, seu contrário, verdadeiro. Defendia também o princípio da razão na qual afirmava existir uma razão para tudo ser como é.
.....Então, temos nestas duas concepções as verdades necessárias nas quais seus opostos são impossíveis, derivando do princípio da contradição e, verdades de fato cujas afirmações são contingentes, nas quais, seus opostos são possíveis e derivam do princípio da razão suficiente. Neste sistema, Leibniz afirma que somente Deus conhece todas as razões para uma verdade contingente ser o que ela é, sendo pela lógica, Deus a última verdade e, as Nômadas, criadas por Ele, contento em seu interior tudo o que ela poderá vir a ser.
.....Este sistema foi refutado por tirar a liberdade inata do Homem e, tal conceito de Homem envolve todo o futuro e, assim, seu curso não poderia mais ser alterado, mesmo se Deus assim o quisesse. Assim, a fábula de Adão e Eva cai por terra, pois os dois não tem a liberdade de escolha, sendo eles uma colônia de Nômadas com tudo que poderiam vir a ser e, com tudo já pré determinado, não poderiam ter escolhas e, seus livres arbítrios, inexistentes.
.....Mas Leibniz se defende e afirma que a liberdade conhecida pelos homens não é a mesma arbitrariedade de Deus, pela qual, sua liberdade divina é fazer aquilo que é bom e ponto.
 

.