Resumo dos principais filósofos...

Kierkegaard (1.813 - 1.855)

.....Nascido em Copenhagen, capital da Dinamarca, cuja cidade em sua época não passava de um pequeno centro urbano.
.....Teve depressão crônica em meio as tragédias familiares. Entretanto, teve atenção especial do pai que lhe deu a melhor educação dentre todos os seus filhos.


.....Começou a escrever mesmo sob seus traumas familiares e, em pouco tempo se transformou em um intelectual de extrema importância em sua cidade.
.....Sua idéias eram individualizações das abstrações de Hegel. É tido no mundo filosófico, ao lado de Nietzche, como fundador do existencialismo e afirmava:
....."O indivíduo é a categoria de pensamento pela qual, de um ponto de vista religioso, nossa época, nossa raça e nossa história deve passar."
.....Em outra máxima, atesta a não possibilidade do inixistencialismo:
....."O pensador que puder esquecer todo o seu pensamento e ao mesmo tempo pensar que é um indivíduo existente, nunca explicará a vida. Ele fará apenas uma tentativa de desistir de ser um humano."
.....Afirmava, corroborando com os conceitos de sua época, que a paixão e o sentimento tinham o mesmo peso que a razão e o intelecto, fudamentando o chamado "Salto de Fé", pelo qual, o interior passa a ser entendido como a origem do significado e do valor.
.....Procurou especular e formular teses nas quais levassem o Homem à profundas mudanças sociais e, em resposta as teses de Hegel, afirmava que a vontade humana e o ato de escolha eram de suprema importância e que, ignorá-los, como Hegel o fez, é um erro filosófico e moral, pois o Homem seria colocado como simples elemento de um processo inevitável. Suas críticas e fundamentos influenciaram filósofos importantes como Sartre, por exemplo, anos depois.
.....Para Kierkegaard, a escolha verdadeira não era uma questão de levantamentos de critérios, como também não era a idéia de a escolha de alguém ser estabelecida por critérios. Não obstante, escolher sem dúvidas, era a escolha certa, o "Salto de Fé", respaldando Deus e, ao mesmo tempo, o reconhecendo como um absurdo. O "Salto de Fé" deve ser feito sem estar embasado na experiência ou por aviso prévio, envolvendo a separação individual completa e da sua responsabilidade, único meio de se chegar a realidade ética, significando isso, mais ao próprio indivíduo do que as coisas entre o céu e a terra que ninguém explica. Além disso, o filósofo determina que a realidade ética pede continuidade, devendo sempre ser sempre renovada.
.....Defendia três estágios para o desenvolvimento humano. O primeiro: na estética o indivíduo procurando a fuga de coisas como tédio e dores da vida. O segundo: procurando os prazeres sem chegar ao conhecimento da vida pessoal almejada. O terceiro: perdendo as esperanças que levam este mesmo indivíduo aos compromissos éticos. Assim a satisfação passa a ser um "prêmio" atingido pelos objetivos morais alcançados, mesmo assim, a experiência fica sem significado particular falhando na veracidade da experiência individual. Só poderá dar o "Salto de Fé" aquele indivíduo que reconhecer sua mortalidade em um aspecto religioso, pois, o Homem só existe na Fé e, acerca disto, Kierkegaard afirma:
....."A vida deve ser vivida para adiante, mas entendida olhando-se para trás."
....."Verdade pra mim é a idéia a qual eu possa viver e morrer."
.....Sua filosofia abriu caminho para novas perspectivas no que diz respeito sobre as coisas humanas e, sobre as coisas humanas individuais, influenciando grande pensadores durante anos sucessivos. Deixou como legado a idéia ainda em discussão: se a verdade é aquilo que é verdade para cada indivíduo, então, como são as coisas e como elas parecem ser na realidade em si?
 

.