Resumo dos principais filósofos...

Husserl (1.859 - 1.938)

.....Nascido na Moráiva, estudou e se formou em matemática em Berlin. Completou seus estudos em Viena e, mais tarde, de volta a Berlim, tornou-se professor.
.....Terminou sua carreira cátedra na Universidade de Gottingen na cadeira de filosofia. Foi muito criticado só por conta de sua descendência judaica.


.....O "Ponto de Arquimedes" era o nome dado pelo filósofo na sua tese especulativa a qual se dedicou. Seus fundamentos eram baseados no conhecimento do Homem, defendendo que um filósofo jamais poderia afirmar nada como determinado, ficando este em alerta para refutar algo já concebido, recomeçando do zero quando necessário. Tratou suas próprias idéias da mesma maneira.
.....Estudando as teses de Frege, Husserl desenvolveu a fenomenologia pura na qual se tem como base a própria consciência do Homem, excluindo toda e qualquer suposição sobre as causas externas e seus resultados. O foco de suas especulações é o discernimento dos atos mentais colocando as verdades como originadas do conhecimento humano.
.....Boa parte destas especulações é influência de seu professor Brentano, quando estudava em Viena. Desta influência, desenvolveu a tese de que os fenômenos mentais estavam inclusos na coisa em si, e que, tal coisa, seria ou não seria uma realidade material.
.....Husserl descreveu seu método fenomenológico em sua obra "Idéias: Introdução Geral à Fenomenologia Pura", conquanto o sistema é descritivo, mas ao mesmo tempo, diferente da descrição psicológica. Para o filósofo, o Homem necessita estar em estado natural e, deste ponto de vista, poderia ter consciência do mundo como “infinitamente espalhado no espaço, no tempo vindo a ser, tornando-se sem fim”, pois, todas as coisas no Universo estão em seus lugares, independentes de se dar atenção ou não à elas, e ainda afirma:
....."São parcialmente impregnadas e parcialmente envolvidas por uma apreensão obscura, profunda ou superficial de uma realidade determinada permanecendo em uma zona de indeterminância."
.....Assim se concebe não apenas o mundo dos fatos, mas junto, o mundo dos valores que os contém e são percebidos conforme estes mesmos fatos. Assegura assim:
....."O ponto de partida natural é o cenário para consciência enquanto ato, não constituindo uma esfera limitada na qual o mundo matemático encontra sua verdade, seu próprio lugar."
.....Os dois mundos, tanto o natural como o aritmético, estão presentes e ambos - relacionados com a consciência, embora um distinto do outro e, não obstante, igual para todos os homens, variando apenas na concepção de que cada indivíduo tem sobre suas próprias particularidades, pelas quais, observa diferentemente as coisas presentes em si, mas com o mesmo conceito de mundo, espaço e tempo, nos quais, todos estão inseridos.
.....Desenvolveu a técnica da redução fenomenológica em relação ao ponto de vista natural, por qual:
....."Trata-se de uma determinada abstenção do julgamento compatível com a convicção de verdade autovidente, inflexível e inabalável."
.....Isto nada mais é que colocar o conceito de verdade como não utilização, mesmo que se tenha colocado a parte, configurando o primeiro passo da redução. O segundo passo da redução consiste na descrição das estruturas que se mantém depois da não utilização do conceito de verdade. São estes os aspectos que nos mostram a existência psíquica, possibilitando as experiências mentais sendo descritas da maneira que se apresentam na consciência.
.....Assim, um homem poderia chegar ao ego transcendental pelas experiências adquiridas por conta da redução fenomenológica de outros homens e outras coisas. Só assim, o tal "Ponto de Arquimedes" é então alcançado, pois, o ego fica dado como uma coisa existente, sendo a consciência pura do eu distante do corpo e, no primeiro, uma coisa a ser estudada pela psicologia.
.....Entre seus principais sucessores, aos quais desenvolveram sua fragmentada tese, temos nomes ilustres, como por exemplo, os de Sartre e Heidegger.
 

.