Resumo dos principais filósofos...

Hobbes (1.588 - 1.679)

.....Filósofo que manteve sua lucidez em todos os seus noventa e um anos que viveu. Desenvolveu sua filosofia influenciado pela ciência que, em sua época, já era uma realidade relativamente antiga.


.....O Homem, por meio da razão, lógica e os resultados dos experimentos e descobrimentos científicos, descobriu a si próprio.
.....Hobbes só obteve fama e sucesso no pós morte por conta de sua obra "O Leviatã", na qual se encontra uma filosofia política jamais dissecada antes no aspecto em que esta obra foi elaborada.
.....Desenvolveu seus pensamentos em paralelo as confusões do dia-a-dia, mantendo-se sempre em lugares tranqüilos. Todavia, atento aos acontecimentos de sua época, como por exemplo, a guerra civil inglesa, elaborou um tratato político que inaugurou a era dos contratualistas, influenciando filósofos como Locke, Rousseau e Montesquieu.
.....Foi perseguido pela inquisição, acusado de heresia, quando divulgava suas idéias políticas. Foi o tutor do príncipe de Gales, quando de seu exílio na França.
......Usou seus teoremas a favor da paz e tranqüilidade para seus compatriotas. Entrou no cenário político com sua filosofia política na intenção de dar ao Estado uma forma de governo ideal para a população. Assim nasceu sua maior e mais conhecida obra, O Liviatã, que versa sobre o estado de natureza do Homem (barbárie) em relação ao estado social (civilizado), cuja relação é resolvida sob um "pacto social", no qual, cada cidadão abre mão de parte de sua liberdade em nome de um despota que protegiria a vida de todos em conjunto, como um único corpo, contra qualquer imimigo, pois afirmava:
....."O Homem é o lobo do Homem."
.....Hobbes nos apresenta nesta obra uma ciência política, na qual disserta sobre o conhecimento da vida humana em sociedade. Em como a sociedade poderia legitimar o Estado.
.....Trouxe em suas reflexões os métodos usados por Aristóteles e aperfeiçoados por Galileu em seus experimentos, com os quais, por meio de repetidos resultados aflorados pelo mesmo método, poderia-se considerar então, esses resultados como um conhecimento verdadeiro. Assim trabalhou e chegou a conclusões calculadas, todas baseadas nas informações coletadas sobre um determinado assunto. Para Hobbes, as palavras não significavam nada, ficando as discussões sobre as coisas corpóreas como planta ou vaso no campo da mediocridade. Defendia a não existência de coisas como bondade e maldade, ou medo e coragem etc. Dizia não haver parâmetros definidos para afirmar o que é verdadeiramente certo ou verdadeiramente errado, ficando esta definição a cabo do Estado por meio de leis, controlando o povo e decidindo como este deve viver.
.....Afirmava que o Homem era parte de um sistema de causalidade, assim como tudo, dentro de um todo. Única diferença entendida entre o Homem e tudo o maisé o desejo que leva o próprio Homem na direção daquilo que se deseja, sendo impedido apenas por coisas externas. Para exemplificar melhor esta idéia, Hobbes usou como exemplo, o fluxo da água que, eternamente procura seu caminho quando em declive, necessitando uma ação externa à ela para contê-la em seu caminho natural. Por outro lado, esta mesma água, não pode subir sozinha, necessitando de força externa para tal. Este segundo fato não a faz como não livre, pois seu fluxo em ascendência não faz parte de sua natureza. Logo, afirma termos inúmeros poderes e dotes e, a verdadeira liberdade é o exercício desimpedido deles. Apresenta, em suas teorias, quais são as ocasiões em que o Homem é realmente livre e nas quais não o é. Para Hobbes, a liberdade do Homem faz parte da causalidade universal.
.....Tentou formular o conhecimento, assim como muitos outros, e acabou por achar na matemática, uma temática de raciocínio explicável para as coisas em relação as suas ações e reações, afirmando em paralelo, serem os sentidos a entender o conhecimento por meio dos pensamentos. Contudo, o conhecimento de fato depende das suas partes que, por sua vez, depende de suas definições como o movimento, por exemplo, configurado com a mesma rigorosidade da matemática. Assim, por conta do raciocínio dedutivo, se pode chegar a conclusões verdadeiras e irrefutáveis. Perceber e entender as causas e suas definições, era o mesmo que conhecer a coisa especulada. A coisa em sí.
.....Suas idéias iam de encontro ao senso comum que na época, estava sob as máximas da escola aristotélica, indo de encontro também com interesses da Igreja, abafando assim, o seu reconhecimento imediato, ficando claro que Hobbes fora um homem moderno nascido em tempos antigos.
 

.