Resumo dos principais filósofos...

Frege (1.848 - 1.925)


.....Filósofo professor durante trinta anos na Universidade de Jean, foi pouco conhecido, exceto por um pequeno grupo de pensadores de sua época na qual lhe concedeu a devida honra pelos seus teoremas e sistemas filosóficos.


.....Mais tarde, foi reconhecido por ter iniciado o que chamamos de Moderna Filosofia da Linguagem e Lógica Moderna, provando as relações entre a lógica e a matemática.
.....Apesar de suas teses terem os mesmos conceitos que as de Russell, Frege trabalhou independente deste e, sem ao menos saber que estes mesmos conceitos estavam sendo especulados por outro filósofo, Frege chegou em uma melhor definição deste tema.
.....Foi muito influenciado pelas idéias dos positivistas lógicos e, principalmente, das idéias de Wittgenstein.
.....No decorrer de seus escritos, descobriu estar errado em acreditar na derivação da matemática baseada na lógica como centro matemático, trocando este núcleo pela geometria.
.....A compreensão de sua teoria requer conhecimentos primordiais de matemática e de lógica.
.....Para Frege, a lógica era a fundamentação da filosofia, redirecionando o caminho, no qual, praticamente todos os pensadores no ocidente estavam após Descartes. Todos voltados para as especulações sobre o conhecimento e não para a lógica.
.....Frege e Wittgenstein, adotando este mesmo sentido de filosofar, levaram todos os futuros filósofos para o mesmo caminho. Frege foi o primeiro a lançar suas teses quando publicou a obra "Os Fundamentos da Aritmética". Esta obra nos trás questões como: O que são os números? O que é verdade aritmética? Com estas questões e suas explicações, coloca-se abaixo quase todas as respostas de seus antecessores.
.....Para Frege, os números em si não eram perfeições platônicas inserido em uma coisa particular. Concordava com Mill que as abstrações de experiências de grupos variados de particulares, como os números, nada mais eram que coisas pertencentes aos conceitos, e que, só se transformam em determinados quando associados a algum conceito em si. Comparou o número a um objeto que na linguagem corresponderia como um verbo de ligação. Define a série de números em particulares lógicos, afirmando por conseqüência a aritmética a partir da lógica, como por exemplo, o número zero, que é idêntico a si mesmo, tendo em mente não existir nada em seu conceito.
.....Assim, com seus termos definidos, argumentou poder demonstrar que as verdades aritméticas eram analíticas em base da análise de todas as leis numéricas que, por sua vez, eram também analíticas.
.....As leis numéricas são dadas diretamente à nossa razão e, como seu parente mais próximo, completamente transparente para ela."
.....Sua concepção sobre a aritmética teve um paradoxo encontrado por Russell, gerando dúvidas sobre a derivação e, mais tarde, pelo teorema matemático de Godel, demonstrando que em certas circunstâncias a coerência não é compatível com a completude, pela qual, quando coerentes, incompletas. Assim, derruba a idéia fundamental de Frege de que a lógica não poderia conter as verdades matemáticas. Mesmo assim, sua fama e estima não foram abaladas devido ao seu conceito original que, pelo contrário, só incentivou seus sucessores em desenvolver mais a fundo a base central desta filosofia, bem como suas implicações.
.....Frege trabalhou em cima do significado no qual cita em um de seus artigos intitulado "Sentido e Referência", conquanto demonstra as diferenças entre estes dois conceitos por meio de uma organizada série de considerações. Para Frege, a compreensão de um nome consiste em conhecer ao que ele se refere, avalisando-o como coisa única, não havendo mais descobertas após esta assimilação. Quanto ao significado das sentenças, Frege alega podermos alterá-las de acordo com nossos pensamentos, sem mudar sua referência, ficando o pensamento dentro da sentença como tendo o seu sentido em si. Estabeleceu que deveríamos definir o “Valor de Verdade” das sentenças mais do que seus significados particulares. Logo, um raciocínio sobre uma sentença não é uma dúvida particular ou intrínseca pela qual se entende as coisas que tornam tal sentença verdadeira ou falsa.
.....Deixou bem claro que, quando entendemos uma sentença, o que compreendemos na realidade são os termos que a torna verdadeira por meio das relações de “Valores de Verdades”.
.....É sabido da existência das linguagens, as quais, seus sistemas não consegue englobar os "Valores de Verdades", mas os seus conceitos constituem um ponto de partida para tal.
 

.