Resumo dos principais filósofos...

Descartes (1.591 - 1.650)

.....É considerado o fundador da filosofia moderna defendendo o conceito de recomeço da filosofia com bases seguras para se poder então sustentar o conhecimento.


.....Usou a lógica para testar as verdades e chegou a conclusão que as coisas são corpóreas e outras não corpóreas, alegando sendo estas, as duas substâncias no Universo, todavia, distintas entre si.
.....Neste sentido, passou a explicar as coisas entre a mente e o corpo do Homem como sendo influências de uma sobre a outra. Natural de La Haye, na França, Descartes manteve várias de suas obras sem publicá-las com receio de acontecer-lhe o mesmo que acontecera com Galileu, pois, suas idéias continham coisas latentes sobre a astronomia e teses kopernianas, como por exemplo, em sua obra "O mundo". Teve outras obras conceituadas como "Discurso do Método", "Meditações Metafísicas" e "Princípios da Filosofia" que lhe valeram o convite da rainha Cristina da Suécia a juntar-se com um grupo de intelectuais para estudos patrocinados pela própria coroa. Descartes passou a ensinar-lhe filosofia todas as manhãs, pontualmente às cinco da madrugada, fato que lhe causou, devido à constante exposição ao intenso frio, uma pneumonia mortal.
.....Seu sistema filosófico era baseado no duvidar de tudo. Procurava analisar as coisas até chegar em um resultado, que alhúres, poderia ser apenas um de dois; falso ou verdadeiro. Assim mostrou uma nova maneira de conduzir os pensamentos, deixando efetivamente os dogmas de lado e passando a raciocinar em cima das causas e efeitos das coisas. Foi inovador neste sentido, marcando a transição entre a forma aristotélica e o método científico-racional. Defendeu o uso da lógica por conta de pensamentos indutivos e, em seguida, a experimentação científica para provar se a coisa em si é, real ou irreal. Calculou ser a mente uma substância não corpórea e nela, a existência da consciência, concluindo que a mente poderia continuar vivendo sem o corpo por este último ser uma substância corpórea. Entretanto, não explica exatamente, como corpo e mente, sendo substâncias distintas e, provado suas existências, poderiam influenciar um e outro, animar um e outro, formando o que chamamos de pessoa - as mesmas que pensam, logo existem.
.....Em sua última obra, "As Paixões da Alma", Descartes tenta explicar a casualidade entre mente e corpo. Alegava ser a mente, uma pequena glândula situada na base do cérebro quem recebe os estímulos dos órgãos sensoriais de maneira falsa, sendo um elo entre a alma e a consciência, mas não explica como uma coisa corpórea entra em contato com uma coisa não corpórea. Esta temática está latente até nossos dias. Até hoje ninguém conseguiu explicar a correlação do dualismo de Descartes. A mente-corpo, mente-consciência. Nem a física quântica ainda conseguiu tal explicação...
.....Sabia que a vã filosofia não explicaria isto sozinha, necessitando da física, matemática e experimentos científicos para desdenhar, pelo menos, o caminho a ser percorrido para se chegar na verdade sobre este prisma, tendo a razão como a base de raciocínio para tal, pois, para Descartes, a mente conhece muito mais que os sentidos. Os sentidos apenas nos transmitem as coisas, mas é na mente que se dá os pensamentos e armazenamentos de conhecimentos passados, fazendo-nos conscientes daquilo que estamos conhecendo.
.....Em suma, são as próprias palavras de Descartes que nos mostram toda a sua teoria racional e dualista:
....."Nós nunca seríamos filósofos se lêssemos todos os argumentos de Platão e Aristóteles e, ainda assim, não fossemos capazes de formular um julgamento sólido a respeito de um leque de questões colocada diante de nós."
 

.