Resumo dos principais filósofos...

Francis Bacon (1.561 - 1.626)



.....Segundo suas próprias palavras:
....."Eu assumi a totalidade do conhecimento como minha província."


.....Assim, Bacon mostra sua dedicação em reorganizar o conhecimento humano; mesmo consciente que não obtereria todos os conhecimentos em si. Entretanto, sua maior preocupação era como dispô-lo de uma maneira a expandir a dignidade e genialidade do Homem.
.....Cresceu na corte inglesa, na qual, rotinamente conversava com a rainha desde sua inocente idade. Após seus estudos, foi enviado, mesmo que com pouca idade, a França como membro da embaixada inglesa com a intenção de prepará-lo para cargos altos na corte.
.....Seu pai morre na época de seus dezoito anos deixando-lhe pouco dinheiro. Tentou a carreira de Direito com a intenção de ocupar um bom cargo junto a rainha Ilizabeth. Estudou, neste intuito, várias matérias como leis, política e filosofia, entre outras, com as quais, teve a idéia de reorganizar todo o conhecimento humano e dispô-lo de maneira inteligível a todos os homens.
.....Fez parte da Casa dos Comuns e, em seu primeiro discurso, desagradou de tal modo a rainha que esta nunca o ajudou.
.....Passou dificuldades financeiras, cujas dificuldades são exemplificadas nas palavras de Lytton Strachey:
....."Ele não era sequer um casaco listrado; ele era apenas seda arruinada."
.....Foi, segundo Macaulay, um homem de sentimentos mesquinhos como o desejo de ascensão política e social, roupas, títulos, casa grande etc. Sua conduta pessoal não era a filosofia que desenvolvia.
.....Era amigo de do Conde de Essex, mas este, ao perder a estima da rainha, foi traído por Bacon que ajudou na perseguição que se sucedeu, ficando conhecido como o “homem que trai amigos”.
.....Foi nomeado cavaleiro quando Jaime I subiu ao poder e, por fim, consegue o tão almejado cargo na corte. Foi nomeado Lord da Chancelaria, o mais alto cargo depois da coroa. Em seqüência rápida, Lord Verulam e mais a frente no tempo, Visconde de St Albans.
.....Foi acusado de corrupção e, admitindo sua culpa, perdeu seus cargos e dinheiro. Foi condenado a prisão por tempo indeterminado segundo a vontade da coroa. Dado fim a sua carreira política, Bacon então se dedicou integralmente aos seus escritos.
.....Ficou muito conhecido por seus ensaios lúcidos e epigramáticos. Suas primeiras obras foram publicados no final do século XVI e, as demais, já no século XVII, como o "Novo Organum", por exemplo.
.....Queria restaurar o domínio do Universo desde a queda do Homem. Foi boicotado pelo clero em suas teses sob ameaça de serem consideradas, as especulações sobre as coisas da natureza, pecaminosas e herédicas.
.....Se opôs a doutrina tomista que busca o conhecimento do sobrenatural em consonância ao natural.
.....Em sua obra "Novo Organum", Bacon disserta sobre o que impede os homens de seus aprendizados, dividindo-os didaticamente em quatro ídolos e suas falsas noções do entendimento humano. Os ídolos da tribo, ídolos da caverna, ídolos do mercado e ídolos do teatro, sendo, os ídolos da tribo surgidos da própria natureza humana, distorcendo o que havia bem antes da existência do Homem. Os ídolos da caverna são as concepções dos homens individuais, gerados pelas propensões individuais de cada homem em particular. Os ídolos do mercado, pelo intercurso e associação dos homens em suas atividades cotidianas. Os ídolos do teatro, consistindo nos dogmas, sistemas e teorias nas mentes dos homens como um todo, de um mundo irreal, representado por suas próprias criações e representações.
.....A indução era a arma usada por Bacon para ultrapassar os obstáculos na obtenção de certezas e conhecimentos úteis, influenciando Hobbes e Galileu na mesma temática. Refutou quase toda as teses aristotélicas em moda na época, alegando seu conteúdo infrutífero. Seu novo método, por meio da indução, corrigiria todas as falhas provindas das distorções dos ídolos, acertando as lacunas deixadas pela escola aristotélica. Seu método indutivo foi desenvolvido por meio da organização da relação do entendimento das formas. Acreditava que a estrutura da natureza como um todo era simples, em formas conjuntas que, as descobrindo, tornaria possível o entendimento das muitas faces do mundo com base na apreensão por conta dos sentidos. As formas simples da natureza eram o quente, úmido, frio, pesado etc., bases das composições das outras coisas. Foi considerado pelos iluministas franceses como "o gerador do avanço científico".
.....Sua visão futurista de usar a ciência a favor da humanidade ficou latente em todos nós até os dias atuais, mesmo que suas teoria indutiva de apreensão do conhecimento tenha caído.
 

.