Resumo dos principais filósofos...

Tomás de Aquino (1.225 - 1.274)


.....Tomás de Aquino, assim como Agostinho e Maimonides, procurou uma conciliação entre a fé e a razão.


.....Entretanto, a procurou de uma maneira ímpar e, pela lógica, alegou que a filosofia não refuta as escrituras, e buscou nas idéias de Aristóteles, as explicações entre as coisas da mente em relação as coisas entre céu e da terra.
.....Não se sabe ao certo de onde Tomás de Aquino é natural. Provavelmente tenha sido de Nápoles. Foi o décimo sétimo filho do Conde de Aquino. Com cinco anos foi enviado ao monastério e, em seguida, na idade adulta, para a universidade na qual estudou profundamente filosofia. Prestou vários serviços a Igreja e lecionou em várias universidades. Em uma de suas viagens, sofreu um acidente machucando a cabeça, causando-lhe a morte semanas a frente. Após sua morte foi canonizado pelo Papa João XII, mesmo que em meios a diversas controvérsias sobre sua teologia.
.....Incorporou a filosofia de Aristóteles nas bases da doutrina cristã, influenciando toda a cultura ocidental futura. Esta filosofia está presente nos vastos escritos de Aquino, dos quais se destacam duas obras: "Suma contra os Gentios" e "Suma Teológica". A primeira, tem como alvo os nãos cristãos dissertando sobre a natureza de Deus e seus feitos, sabedoria e felicidade dos Homens e ainda, sua tese sobre a compatibilidade da fé com a razão. A segunda, concentrada nas perguntas e respostas teológicas em forma de extensos artigos. Sua idéia era mostrar que a razão e a revelação eram o caminho para o conhecimento de Deus. Analisou sua natureza e suas propriedades, discutindo sobre a graça de se atingir Deus por meio do intelecto.
.....Emprestou de Aristóteles os conceitos básicos da sua filosofia como as teses de forma e matéria, substância e acidente, realidade e potência. Dizia que tudo no Universo era matéria organizada em formas. Os seres divinos, como os anjos, por exemplo, não possuíam matéria por serem seres não corpóreos, mas que tinham formas, se diferenciando um dos outros por conta de suas próprias diferenças particularidades e, os Homens, como possuidores de matéria e forma em conjunto, se diferenciando pelas suas particularidades materiais compostas em diferentes parcelas de matéria em suas diferentes combinações.
.....Melhorou a teoria de Aristóteles, argumentando que o tornar-se existente era mais importante que a realização da forma, destinguindo a essência da existência de alguma coisa, pela qual, a definição de alguma coisa é independente de sua existência como fato. Mas não relacionou esta diferença de definição e existência com Deus, fudamentando que Deus, sendo diferente e não podendo ser originado de algo fora Dele mesmo, era o único ser causado por sua própria essência.
.....Tentou mostrar que todas as coisas são observáveis e apreendidas, e que, por conta da experiência ordinária e razão, o Homem poderia chegar a princípios mais amplos. Seus argumentos levam a tese de que a partir do momento que as coisas existem, perecem e morrem, seguem a necessidade de algo além das coisas em si.
.....Também ficou famoso pela obra na qual apresenta cinco provas da existência de Deus, "Cinco caminhos que conduzem a Deus".
.....A primeira prova postula sobre o movimento, alegando ser contínuo e, seu início, inexistente, concordando com Aristóteles sobre uma força motriz. A segunda como tema da causa real das mudanças, tendo estas, uma primeira causa e esta última, como sendo Deus, pois nenhuma outra causa poderia ser causa de si mesma. A terceira, disserta sobre o ser e perecer, mostrando que eles são contingentes, mais que coisas necessárias e, por sua vez, devem ser aclamados como origem da existência dos seres contingentes. A quarta, é o julgamento das coisas, sendo uma diferente da outra, melhor ou pior que outras e esses graus de perfeições mostram que existe o melhor, o mais verdadeiro, uma suprema existência na qual a causa de todas as perfeições relativas é ela mesma, a pura perfeição. A quinta prova é a vontade latente e o caminho que as criaturas vivas tomam em direção ao bem ou propósito final. Assim acredita que exista um ser que relaciona tudo como um todo único.
.....Aquino tentou mostrar que pela fé e pela razão chegamos ao mesmo conhecimento, mesmo que por diferentes caminhos. Isso remete ao dever de se conciliar a fé com a razão, e não uma em contraste com a outra.
.....Assim como Aristóteles, Aquino concordou com a tese de que a alma ocuparia todo o corpo e que ela é a responsável pela vida nos corpos animados. O corpo e a alma, para Aristóteles e Aquino, eram de uma só substância, tendo um corpo, sem a presença da alma, como apenas um aglomerado de matéria. As plantas tinham alma vegetativa, os animais alma sensitiva e o Homem, por semelhança e imagem a Deus, alma racional. Neste sentido, alegava que a alma do Homem tinha uma particularidade a mais, além da racional, como a capacidade de pensar e raciocinar sem a necessidade latente do corpo e, sendo assim, imortal. Refuta a idéia de Platão de que o Homem é ao mesmo tempo, corpo e alma, sendo o primeiro, uma coisa a serviço da alma. Para Aquino, o conjunto alma e corpo é que compõe o Homem como conhecemos.
.....Em sua filosofia, o intelecto é o poder do conhecimento e, a vontade, o poder de escolha, pela qual, o intelecto é quem desenvolve os meios para alcançar a escolha. Assim o mal é entendido como uma escolha equivocada de um homem acreditando estar procurando o bem. Neste aspecto, afirma que os homens têm livre escolha, procurando o bem com liberdade e por conta própria e, os animais irracionais, seguindo apenas o que Deus lhes implantou, o instinto.
.....Sua maior contribuição foi mostrar que conceitos científicos podem coexistir com a teologia e assim, uma fundamentar a outra. Até nossos dias, temos debates sobre a ciência e sua relação com a religião. Mesmo após séculos da sua morte, encontramos a base da sua filosofia e suas teses sendo discutidas neste mesmo sentido.
 

.