As filosofias do mundo...
 

Filosofia oriental

.....O maior representante da filosofia oriental é o povo chinês, cuja maior escola é a do confucionismo. Confúcio está para a filosofia oriental assim como Buda está para a filosofia indiana.
.....O confucionismo só teve um grande desenvolvimento a partir do ano 100 a.C., durante a dinastia de Han, que colocou tais idéias como ideologia oficial para povo chinês. Entretanto, a filosofia chinesa não teve e nem tem a mesma organização que as escolas hindus.
.....A filosofia chinesa é dividida, pelos estudiosos, em dois períodos: o período dos filósofos e depois, o período da cultura. Até o século XX não se encontrou muito avanço filosófico. Não há nada mais na literatura chinesa do que poucos comentários nos textos clássicos, nem grandes contribuições ao confucionismo por meio dos filósofos neoconfucionistas das dinastias Sung e Ming. Mesmo assim, a continuidade da filosofia chinesa até o século passado foi mantida por conta de seus fiéis discípulos.
.....Após o século XX, a filosofia chinesa aglutinou ao seu sistema as idéias japonesas, tornando-se assim, uma legítima filosofia oriental.
.....Toda a filosofia oriental é fundada nas escrituras de Confúcio, as quais seus discípulos as consideravam e, ainda consideram, irrefutáveis. Não obstante aos anos, surgiram as mais variadas vertentes que, cada qual, defende e dissemina suas próprias idéias e métodos.
Sem dúvida, foi a longevidade do budismo que criou o confucionismo e depois o taoísmo e que ainda, garantiu sua própria sobrevivência.
.....Por fim, a filosofia chinesa, desde seu início, sempre teve seu centro nas necessidades humanas, no aperfeiçoamento do governo, na moral e nos valores da vida privada. Os filósofos chineses e japoneses se preocupam com coisas que tenham propósito útil e óbvio, assim, a filosofia oriental se concentra em ideais fundamentais e práticos.
.....Todavia, a filosofia oriental possui várias vertentes básicas as quais o mundo moderno (ocidental) considera todas como uma real filosofia oriental. Entres estas vertentes, se destacam o confucionismo, moísmo e taoísmo.
.....O confucionismo defende como moral verdadeira a que provem do seio familiar e que se estende para todos na sociedade, propondo maneiras de autogovernar e de governar. Alega-se, neste sistema, a manutenção do Homem primitivo a que se criar um novo Homem. Especulam-se coisas como seres superiores e seres inferiores e suas relações no mundo real. Enfim, o confucionismo moderno é uma mistura equilibrada da moral interna de cada indivíduo com as regras comprovadas de boas condutas.
.....O moísmo, cujo fundador foi Mão Tse, procura fazer frente, desde seu início em 500 a.C., ao confucionismo. Por motivos políticos, o moísmo ficou fora da literatura chinesa por quase dois mil anos, voltando a brilhar apenas no final do século XIX quando a estrela do confucionismo começou a se apegar.
.....Defendem a difícil combinação do consenso liberal entre o igualitarismo e o utilitarismo em relação ao progresso material, sendo este último, considerado como realidade última por quase toda a humanidade, além dos taoístas.
.....O taoísmo nada mais é que uma filosofia oriental dissidente das intrigas entre a filosofia confucionista e a filosofia moísta que, não obstante, se encontram inúmeros representantes em todo o mundo. Procuram a verdadeira fonte ou origem de tudo e, qual seria o melhor caminho para tal.
 

.