A música grega...











.....A música grega, antes do seu apogeu e hegemonia no mundo antigo, influenciou toda a sociedade grega em todos os níveis sociais em diferentes épocas. Desde os micênicos até depois da Era Clássica, a música esteve presente em todos os eventos, tanto os de cunho sociais ou culto divinos, como também nos jogos, espetáculos, teatro, eventos particulares, jantares e reuniões, aos quais, todos tinham seus músicos próprios.

.....Para ilustrar esta temática, os guerreiros treinavam suas técnicas de luta ao som de flautas, assim como os atletas faziam. Todo trabalho artesanal, desde uma simples confecção de pão até os trabalhos mais elaborados eram feitos sob cânticos próprios.
.....A dança tinha forma universal à todos, sua única diferença era no rítimo, levado de acordo com a música tocada...
.....Um músico, no mundo grego, tinha a conotação de ilustre, de homem requintado. Como regra entre os gregos, aquele que se mantinha no autocontrole era um homem afinado e o que vivia de mau humor, desafinado. Os pastores conduziam suas criações nos campos e pastos por meio do som de uma flauta de Pã e, até mesmo os prisioneiros de guerra, tinham o direito ao seus quinhões musicais para aquietamento.
.....Todas estas músicas eram passadas de geração em geração por imitação e não por anotações, nos deixando hoje, apenas os relatos de eventos, elogios, poucas letras, hinos ou poesia. Todas melodias e harmonias não são conhecidas; estão perdidas para sempre no tempo.
.....Seus instrumentos e o início da linguagem musical são provenientes do Oriente, da Ásia menor e da vizinha Trácia. Daí os gregos superaram a técnica , com graça inigualável, criaram toda uma ciência e teoria, dando uma estética totalmente nova, mudando o conceito da música em si, transferindo inclusive sua utilidade mórbida e religiosa para o uso cotidiano, melhorando a qualidade de vida do próprio Homem.
.....A música na Grécia foi muito além de adereço artístico. Não era apenas tocada e apreciada. Filósofos, como Pitágoras e Platão, estudaram-na a fundo os seus conceitos e a transformaram-na em elemento social de grande importância. Pitágoras, por meio da acústica musical, demostrou a base numérica da Cosmonância. Já Platão, relatou os efeitos da música na psique, tanto de quem a executa como de quem a ouve, alterando seus estados de espíritos.
 

.